Fundamentos do Marketing Digital

Se está louco para começar a trabalhar com Marketing Digital, acreditamos que essa página seja um bom começo para você.

Aqui abordaremos alguns tópicos do mundo do Marketing Digital de maneira introdutória e da forma mais didática possível. 

Então se você está buscando uma ajuda para planejar as ações de marketing digital do seu estágio, trabalho, blog ou está apenas estudando para depois aplicar, pode seguir com a leitura dessa página!

fundamentos marketing digital

Tópicos que serão abordados

1

O mundo ficou digital. O que fazer?

2

O usuário no centro de tudo

3

Marketing Digital é inteligência + tecnologia

4

Principais canais e ferramentas

5

Aprenda o básico de programação

6

Próximos passos

PARTE 1

O mundo ficou digital. O que fazer?

Uma das fortes razões para aprender Marketing Digital é que o comportamento dos consumidores mudou muito nos últimos anos e muitas empresas ainda não notaram isso.

As pessoas migraram de vez para o consumo de informações na internet. De acordo com a PNAD 2016 (Pesquisa Nacional por Amostra de Domícilios), elaborada pelo IBGE, 63,6% dos domicílios brasileiros possuem acesso a internet (aproximadamente 130 milhões de pessoas)

o mundo está digital

De acordo com a consultoria IDC, só no primeiro semestre de 2016 foram comercializados 12.044 milhões de smartphones (lembrando que o país passa por uma crise).

Essa quantidade de Celulares com acesso a internet reflete direto no comportamento das pessoas nas redes sociais.

Segundo Ime Archibong, diretor de parcerias estratégicas do Facebook, o grupo (grupo porque é dono também do Instagram e do Whatsapp) possui:

  • 99 milhões de usuários ativos mensais;
  • 89 milhões de usuários móveis ativos mensais;
  • 850 milhões de pessoas no Facebook Groups;
  • 900 milhões de pessoas no WhatsApp;
  • 1,48 bilhões de pessoas no Facebook;
  • 800 milhões de pessoas no Facebook Messenger;
  • 400 milhões de pessoas no Instagram.

* Dados de sua palestra ministrada na Campus Party 2016.

Diante disso, ficam claras as oportunidades para empresas (relacionamento, venda, presença) e para profissionais, pois diversos setores ainda tem um pensamento pautado na produção (fordismo) .

Deseja receber conteúdos como esse por e-mail?

PARTE 2

O usuário no centro de tudo

Muitos enxergam o Marketing Digital como um canal de aquisição de clientes mas poucos os tratam como tal. Enquanto muitos utilizam as ferramentas de Marketing Digital para darem tiros de bazuca, os que estão trabalhando de forma personalizado, estão com resultados muito acima da média.

Da mesma forma que o ambiente digital ajuda empresas a melhorarem seus resultados, ajuda também usuários a encontrarem o que desejam (lembrando que mais de 60% da população utiliza a internet).

Dessa forma, há uma quebra de paradigma no formato de comunicação entre empresas e consumidores.

Ela deixa de ser “Fala que eu te escuto” (empresas ditando o que o consumidor deve fazer) e passa a ser “Vamos trocar uma ideia” (era do diálogo - me diga qual o seu problema que darei a solução).

Porém, muitos segmentos continuam na era do “Fala que eu te escuto”.

marketing centrado no usuário

Não venda produtos e serviços. Resolva problemas.

Seguindo a linha do “Vamos trocar uma ideia”, a forma de atuação mudou.

Um mesmo produto ou serviço pode ser vendido para diversos perfis com approaches diferentes.

Para isso, basta esquecer um pouco da visão centrada no produto e olhar para o usuário (persona):

  1. Quais são os problemas dele?
  2. Como meu produto resolve os problemas dele?
  3. O que ele faz para tentar resolver os problemas?
  4. Que atributos ele considera no ato da compra?

Entender bem os perfis de personas que compõem o seu público alvo é essencial para obter sucesso dentro do Marketing Digital. 

Educar é a melhor forma de vender

Entendendo os fatores do público mencionados ainda agora, você será capaz de criar personas, dividir bem o seu público e entender a lógica de consumo deles.

Dessa forma, ao invés de simplesmente ofertar um produto na cara dura (no melhor estilo “Fala que eu te escuto”), você poderá fazer parte de todo o ciclo de compra dessa persona, a educando, dando dicas e apresentando soluções para os problemas dela. (essa própria página / e-book é uma iniciativa nesse sentido)

Notou a diferença de lógica? Não há pedido de casamento no primeiro encontro.

Antes disso, há um flerte, um namoro, um noivado para aí sim chegar no casamento.

funil de marketing

Ainda assim, uma forma de trabalho não anula a outra.

Pelo contrário... UMA COMPLEMENTA A OUTRA.

Se você tem o público mapeado, você sabe para quem está mais disposto a comprar no primeiro encontro (fundo de funil) e quem não está (topo do funil) 

Um trabalho de conteúdo consistente demanda tempo até gerar vendas. Entretanto, nesse tempo, você passa a conhecer melhor o seu cliente e pode aproveitar esses dados para tentar ações à moda antiga.

Conhecendo o cliente, existe um mundão de oportunidades a serem exploradas na web, sejam elas de resultados a curto prazo ou longo prazo.

No mundo atual, não adianta querer falar com todo mundo. Quem fala com todo mundo, não fala com ninguém direito. Foque em primeiro fazer o 0 virar 1, depois o 1 virar 10 e assim sucessivamente. 

Deseja receber conteúdos como esse por e-mail?

PARTE 3

Marketing Digital é Inteligência + Tecnologia

É normal vermos por aí muitas pessoas e empresas abordando o Marketing Digital como se fosse simples e resumido a algumas ferramentas.

De certa forma não está errado, porém o pensamento correto ao pensar em marketing digital é aliar a inteligência ao uso de tecnologias. (no meio desse processo entram as ferramentas tão faladas por muitos).

O framework de trabalho pode ser dividido em 02 grandes grupos:

  1. Funil ou Jornada de Compra
  2. Canais de Marketing Digital

Diante das complexidades do mundo atual, entender esses 2 grandes grupos e utilizar a ferramenta certa e o canal certo para a etapa correta do funil, pode significar um bom ganho em escala para as suas ações.

inteligência de marketing digital

Há alguns anos atrás, o volume de conteúdo, produtos e serviços na web não era tão gigante quanto hoje.

Isso facilitava de certa forma o trabalho das empresas e das equipes de marketing.

  1. Do lado cliente, o volume de opções era menor;
  2. Do lado das empresas, o volume de concorrência era menor.

Hoje, diante de milhares de marcas, redes sociais, facilidade de acesso a internet, o processo de compra de produtos e serviços mudou e nem todas as empresas acompanharam a mudança.

Acompanhar o seu possível cliente em toda jornada de compra dele passou a ser essencial.

Como é o seu público alvo?

Se você não sabe o seu público, dificilmente conseguirá ter bons resultados.

Como falamos anteriormente, as opções hoje são praticamente infinitas. Diante disso, definir bem o público-alvo é primordial para todo o processo de marketing.

Focando nas pessoas certas, os custos de marketing tendem a cair e os resultados a aumenta.

Em linhas gerais a mais específica for a segmentação do seu público, maior será a probabilidade de suas ações serem certeiras.

Abaixo representamos graficamente as diferenças de níveis de segmentação.

segmentação de público

A partir dessa definição, você deverá descer a lupa no público para estudar características demográficas, comportamentais e psicográficas que facilitem o planejamento e execução de suas ações.

Uma boa representação dessas características é a persona, que além dessas características deve exemplificar uma jornada de compra desse "personagem"

jornada de compra

Jornada de compra? O que é jornada de compra?

A Jornada do Compra (Buyer Journey ou Jornada do Comprador) é o modelo utilizado para definir em que estágio do processo de compra do cliente se encontra.

Com base no seu comportamento é possível identificar esse estágio.

Então, o marketing e a área comercial podem entregar as informações certas que vão ao encontro das necessidades do comprador.

Essa visão também é chamada de Funil.

Ela é dividida em 3 estágios:

Consciência: O usuário tem realizado ou expressado sintomas de um problema potencial ou ocorrido por necessidade.

Consideração: O usuário tem claramente definido e dado um nome para seu problema ou necessidade.

Decisão: O usuário tem definido sua estratégia de solução, método ou abordagem.

Simplificando:  O usuário não te conhece (Consciência), o usuário te conhece (Consideração) e o usuário está pronto para adquirir algum produto ou serviço de você (Decisão)

Entendendo a Jornada corretamente, basta identificar qual é o melhor canal para se comunicar com esse possível cliente.

No blog, temos um post que fala sobre os Canais de Marketing Digital.

Deseja receber conteúdos como esse por e-mail?

PARTE 4

Principais Canais de Marketing Digital

Ao entender o comportamento de compra do seu público, você deve alcança-lo pelo melhor caminho possível.

Para isso, você deve entender os principais canais de marketing digital.

canais de marketing

Quais são os principais canais de Marketing Digital?

Tráfego Direto

Tráfego direto nada mais é que pessoas que chegam ao seu site digitando diretamente a URL no navegador (ex: www.marketagem.com.br).

Uma coisa que temos que ter em mente é que as pessoas que acessam o site via tráfego direto já conhecem a marca ou produto. Portanto, dependendo das páginas de entrada, podemos supor em que etapa os usuários estão na Jornada de compra e assim direcionar o conteúdos das páginas.

Tráfego Orgânico

É aqui que fica concentrado boa parte do esforço de geração de conteúdo.

Tráfego orgânico nada mais é que pessoas que chegam ao seu site a partir de uma busca no Google, Bing ou qualquer outro buscador.

O trabalho para geração de tráfego orgânico é #hardworkpesadão e exige foco, entendimento de tecnologia e principalmente do cliente e do mercado.

Conforme informado no tópico anterior, ao conhecer a Jornada de compra da sua persona, você consegue identificar possíveis buscas que ele realiza ao longo das etapas da jornada.

Tendo isso em mãos, é arregaçar as mangas e ir para cima como um rolo compressor, criando conteúdo relevante, focado no usuário, no buscador e no resultado que pretende alcançar.

Tráfego de Referência

Tráfego de referência nada mais é que pessoas que chegam ao seu site através de uma “indicação / referência” de outro site.

Imagine a seguinte situação:

Você acessou o blog do Kleber (www.wpacademy.com.br) para ler sobre plug-ins e encontrou em uma das postagens uma indicação para o Marketagem através de um link no meio do conteúdo.

Social

Como o próprio nome diz, é o tráfego gerado a partir de esforços em redes sociais.

Por mais que elas sejam uma senhora ferramenta de relacionamento, também servem para gerar tráfego qualificado, principalmente para o estágio de consciência.

Mídia Paga

Como o próprio nome diz, esse é o tráfego pago (anúncios). Da mesma forma que a internet cresceu em volume de conteúdo, cresceu também em volume de empresas realizando campanhas pagas.

Dessa forma, cada vez mais os espaços estão diminuindo para profissionais com um pensamento tradicional e aumentando para profissionais extremamente orientado a dados e resultados que pensam fora da caixa na hora de pensar as ações.

Para esse tipo de ação, existem diversas plataformas. Para você já começar por cima, separamos aqui os links da principais.

Google Adwords – Publicidade na busca do Google e sites parceiros
Facebook Ads – Publicidade no Facebook
LinkedIn Ads – Publicidade no LinkedIn
Twitter Ads – Publicidade no TwitterBing Ads – Publicidade no Bing
Instagram Ads – Publicidade no Instagram
Taboola - Plataforma de recomendação de conteúdo
Outbrain - Plataforma de recomendação de conteúdo

Antes de decidir o melhor canal para atuação, decida quais serão seus indicadores de performance / sucesso (KPI).

PARTE 5

Aprenda o básico de Programação

Com o avanço tecnológico o mercado está cada vez mais digital, e a forma de se fazer marketing está indo pelo mesmo caminho.

Com as ferramentas utilizadas atualmente pelo mercado para se fazer marketing, você certamente irá se deparar em algum momento com algumas linhas de código para realizar determinada ação.

Se você souber o mínimo de HTML já estará ganhando muito em agilidade e não precisará depender de um editor de texto que nem sempre estará disponível pra fazer o que deseja.

É muito importante também na hora de dialogar com a equipe de desenvolvimento, você conseguirá falar de igual-pra-igual com eles e explicar perfeitamente o que deseja.

básico de programação
html

O que é HTML?

O termo significa Hyper Text Markup Language.

Trata-se de uma linguagem de marcação, ou seja, através dela você vai dizer o que a sua página vai ter, seja um link que vai para o site do Marketagem, ou uma imagem do Pão de açúcar.

Exemplo de estrutura básica

<html>

 <head>

       <title>Título da página</title>

 </head>

 <body>

       Aqui vai o código HTML que fará seu site aparecer.

 </body>

</html>

Tags de Cabeçalho e Parágrafo

As tags de cabeçalho servem para você colocar seus textos em tópicos: Títulos, sub-títulos, capítulos e etc e sua aplicação se dá pelas tags <h1>, <h2>, <h3>, <h4>, <h5> e <h6>.

Já a tag de parágrafo, como o próprio nome diz, serve apenas para você dividir seus textos em parágrafos. Sua aplicação se dá pela tag “<p>”.

Quero melhorar a estratégia de SEO do meu site. Devo entender HTML?

Hoje em dia o SEO não é mais um mito e sim uma realidade, as grandes empresas utilizam o canal de busca orgânica como sua maior fonte de tráfego e aquisição, portanto essa prática se tornou imprescindível para qualquer negócio digital.

“Tá bom, mas e o que o HTML tem a ver com isso?”

Vejamos a seguinte situação:

Paulo deseja realizar otimizações de SEO para o seu site com o objetivo de aumentar o número de visitas para o mesmo, porém ele notou que o SEO é divido em duas etapas, o SEO On-page e o Off-page.

Para realizar as otimizações On-page, Paulo notou que precisaria fazer algumas alterações em sua estrutura HTML, porém, Paulo nunca deu muita importância em aprender o básico necessário do mesmo e não sabia como proceder.

Para realizar otimizações on-page o conhecimento prévio de HTML é indispensável caso você não tenha aquela grana sobrando para terceirizar o serviço.

 Os mecanismos de busca avaliam como relevância o conteúdo que você coloca em tags específicas do HTML, como as tags meta (description, og), tags de cabeçalho (h1, h2, h3, h4, h5, h6), tag title. 

Sendo assim é extremamente importante você conhecer pra que serve cada uma delas pra que obtenha o sucesso desejado.

HTML na criação de peças de E-mail Marketing

Você pode não saber, mas as peças de e-mail marketing são 100% HTML, mesmo que isso não fique visível explicitamente.

Atualmente temos inúmeras ferramentas de envio de e-mail marketing como Mailchimp, Dinamize, Mail Sender entre outras que possuem templates prontos onde o usuário só altera o conteúdo.

Mas não se engane, cedo ou tarde você vai precisar colocar a mão na massa.

As peças de e-mail marketing, principalmente os promocionais, possuem links e call-to-actions em seu corpo que apontam para outro lugar, exemplo:

“CLIQUE AQUI PARA BAIXAR O E-BOOK”

Em HTML ficaria assim:

<a href=”http://www.meusite.com.br/ebook”> CLIQUE AQUI PARA BAIXAR O E-BOOK</a>

Ou talvez seja necessário inserir uma imagem no corpo do e-mail e pra isso vai utilizar a tag “img”. Ficaria assim:

<img src=”http://www.endereco.com.br/img/nome-da-imagem.jpg” alt=”Descrição da imagem” title=”Nome da Imagem” />

Com esse entendimento, você já vai conseguir realizar muitas dessas tarefas que citamos aqui, mas caso queira se aprofundar mais no HTML recomendamos os sites w3schools e o Tableless.

Deseja receber conteúdos como esse por e-mail?

PARTE 6

Próximos passos

O Mercado está em plena mudança.

A publicidade de hoje não é a mesma de poucos anos atrás, o jornalismo de hoje não é o mesmo de poucos anos atrás.

As coisas estão aos poucos deixando de ser segregadas para serem bem unificadas. Dessa forma, quem deseja trabalhar com Digital não deve entender somente de ferramentas.

O maior gargalo está em entender a dinâmica do ambiente digital.

Para isso, os novos profissionais devem entender de marketing, de conteúdo, de tecnologia, de aspectos de Design que podem influenciar no trabalho, entre outros assuntos.

Para resolver os problemas complexos de Marketing das empresas é necessário muito #hardworkpesadão, estudo contínuo e conhecimento do Mercado para com isso, chegar em soluções diferenciadas que geram resultados agressivos.

Conteúdo desenvolvido por:

victor baptista

VICTOR BAPTISTA

KLEBER COSTA JR.