Mês: abril 2020

Como descobrir se o conteúdo está otimizado para SEO

Só de olhar rapidamente, você acha que esse post está otimizado para o Google? Visualmente falando, a resposta é sim por causa da estrutura em F que ele possui. Entre outras técnicas de SEO que facilitam a leitura dinâmica para você encontrar sua resposta o mais rápido possível.

Quer descobrir se os conteúdos produzidos por sua marca estão realmente otimizados? Então acompanhe este post até o fim porque você vai aprender como deixar o texto otimizado para SEO, caso ainda não esteja.   

E também para você saber como planejar a produção de conteúdo otimizado de agora em diante.

O que é conteúdo otimizado

Search Engine Optimization é o que significa a sigla SEO. O que pode ser traduzido em português como otimização de site para mecanismos de busca. Ou seja, o intuito é a exibição nos resultados da busca orgânica do Google (que não é anúncio).

E na prática, é um conjunto de estratégias, táticas e técnicas, dentro e fora das páginas da sua empresa, que tem o objetivo de fazê-las alcançar as primeiras posições do Google ou qualquer outro buscador.  E uma dessas táticas de SEO é o conteúdo otimizado. 

Por meio de um conjunto de técnicas de otimização de texto, como utilização de linkagens e palavras-chave, é possível fazer posts do seu blog ou páginas do seu site conquistarem o top 5 do Google em determinadas pesquisas que as pessoas fazem.

Então, por exemplo, se você tem uma pizzaria e quer que clientes atuais peçam pela internet e possíveis consumidores saibam que ela existe, o conteúdo otimizado para SEO é uma das formas de fazer isso. 

Isso porque ao pesquisarem no Google, as pessoas que você quer atingir irão encontrar seu negócio.    

Porque vale a pena otimizar conteúdos para SEO

  • Para que as pessoas encontrem seu negócio no Google e outros buscadores
  • Para vender mais com a ajuda da internet
  • Para que sua marca seja mais conhecida e lembrada
  • Para conquistar seu público-alvo com conteúdo que ele precisa ou quer saber
  • Para aumentar a base de contatos e estreitar relacionamento com seus possíveis consumidores e clientes atuais
  • Para facilitar que os robôs do Google entendam que os conteúdos produzidos por sua empresa estão entre os melhores para determinadas pesquisas 
  • Para potencializar os resultados de estratégias de Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo

Analisar a experiência de leitura do usuário é o primeiro passo para saber se o conteúdo está otimizado

Está fácil encontrar a informação que o internauta procura no texto? Você consegue, só de bater os olhos, ter uma ideia de que parte precisa ler para descobrir o que quer?

Tudo que os usuários querem é, sem enrolação, encontrar o que procuram. Afinal, estão vivendo suas vidas com o celular na mão e precisam daquela informação, muitas vezes, para resolver algo naquele minuto (micro-momento). 

Se o seu post foi escrito de maneira similar a um livro tradicional, que se você for no último capítulo descobrir quem é o assassino, não irá entender nada (só ficará sabendo o nome), então o conteúdo não está otimizado. 

Isso porque atualmente estar bem otimizado para SEO é o mesmo que facilitar a vida das pessoas e não mais apenas dos robôs do Google. 

Conteúdo otimizado tem escaneabilidade

A organização do conteúdo com foco na facilitação da leitura dinâmica do usuário é conhecido em SEO como escaneabilidade. 

O que melhora a experiência de leitura das pessoas e ainda agiliza o lado dos robôs do Google na hora de vasculhar sites para indexar e criar os ranking de resultados da pesquisa orgânica.

Hoje em dia, a maioria das pessoas do Brasil e do mundo acessam a internet pelo celular. E com isso, algumas técnicas de escaneabilidade precisaram ser atualizadas.  Confira as principais: 

  • Chunks: são os pedaços que compõem o texto. E são pensados para ajudar o internauta a encontrar mais rápido a informação que procura e ainda garantir o conforto visual durante a leitura. Para otimizar o texto (inclusive para dispositivos móveis), o ideal é criar chunks de até 3 linhas. Assim a leitura em telas de smartphones fica menos cansativa. 
  • Hierarquia de headings: é a estrutura do texto com o título (H1), subtítulos (H2) e intertítulos (H3). Vale lembrar que é possível ir até o H6 (embora o recomendado é no máximo H4 ). Além disso, cada heading é subordinada a outra. Então H3 está dentro de H2 que está dentro de H1.
  • Bullets e numerações: o primeiro significa as bolas que formam listas não numeradas. E assim como as listas numeradas, eles destacam visualmente informações importantes no texto ajudando na leitura dinâmica. Além de constituir a estrutura em F que é típica de conteúdos otimizados.
  • Negrito: é para ser usado com cautela porque tem como objetivo destacar visualmente uma informação, palavra-chave ou termo no post. O itálico, se você usar, é só para identificar palavras estrangeiras.
  • Linkagem: são backlinks e links internos. Isso porque são indispensáveis para melhorar a experiência do usuário por oferecer a opção de aprofundar conhecimento sobre determinados temas em outros posts ou sites.  Mas, para o SEO em si, os links têm outras funções como transmitir autoridade de uma página para outra. 
  • Imagens: são fundamentais para informar e tornar o conteúdo visualmente mais atrativo. Fotos e vídeos incorporados (embed) são os principais exemplos. Conteúdos otimizados para SEO têm inclusive o texto alt da imagem otimizado. Isso porque, mesmo que ela não carregue, a pessoa saberá a informação contida nela. 
  • Espaçamentos: muita gente esquece, mas os espaços em branco entre chunks são indispensáveis para a escaneabilidade do conteúdo. Assim como na editoração, eles arejam o texto, tornam mais agradável visualmente e colaboram com a estrutura em F.
  • URL: em um conteúdo otimizado para SEO, até o endereço da página que fica no navegador, e que é compartilhado pelas pessoas, precisa ter a keyword ou o título da página nele. Assim antes de clicar, a pessoa sabe do que se trata.  

O texto otimizado para SEO é útil para as pessoas

Como você pode ajudar as pessoas que fazem parte do seu público-alvo com informação relevante para elas? 

Se você tem um salão de beleza, por exemplo, não adianta fazer um post no blog falando sobre a última moda em unhas postiças se o seu estabelecimento não oferece o serviço. 

Já explicar a importância para a saúde de não compartilhar alicates de unha e ensinar como escolher o acessório seria mais útil e relevante. 

Como entender o que faz sentido para suas audiências? A dica é criar personas e fazer pesquisas de marketing com suas clientes atuais para descobrir o que gostariam de saber sobre seu nicho e assim produzir conteúdo otimizado focado nisso. 

Observe se o post aborda um tema apenas

Tentar responder mais de uma dúvida do usuário em um mesmo post é a receita para um conteúdo raso e nada otimizado. 

Portanto um dos principais indícios que o texto não tem otimização é ele não ser focado no que promete o título (H1). 

Por exemplo: em um post sobre como fazer pizza de mussarela em casa, as pessoas esperam encontrar, ao menos, uma receita no conteúdo e não vários tópicos sobre as pizzas mais caras do mundo. Afinal, o que isso ajudaria elas?

Isso porque a intenção de quem pesquisou é aprender a preparar pizza desse sabor específico. E não descobrir curiosidades como qual o preço da pizza mais cara do mundo. Aliás, dependendo das suas personas, esse seria um tema para outro post…  

Precisa ter Call To Action (CTA) que faça sentido

Também conhecido como chamada para ação, o CTA está cada vez mais presente em conteúdos otimizados para SEO. 

Em uma estratégia de blog, cerca de 80% dos conteúdos produzidos são planejados para visitantes (que são as pessoas que estão apenas querendo saber algo, matar uma curiosidade, e não realizar uma compra). 

Então não adianta, por exemplo, no fim do texto convidar o internauta para experimentar gratuitamente seu produto ou serviço por um mês. Ele não pensa em adquirir agora. Isso seria uma Call To Action  para quem tem a intenção de compra.

Ou seja, o CTA para ser assertivo precisa conversar com o momento do cliente na jornada de compra e a etapa do funil de marketing. Somente dessa forma ele conseguirá motivar a pessoa a realizar a ação desejada por sua empresa com o conteúdo otimizado. 

Como deixar o conteúdo otimizado para SEO

Percebeu que os textos da sua empresa estão sem otimização? Abaixo você encontra algumas dicas para deixá-los com técnicas de SEO

Entenda o que suas personas realmente querem saber 

  •  Pesquise as principais dificuldades e objeções delas
  •  Identifique também as dúvidas que mais possuem ( inclusive em cada estágio da jornada de compra e/ou do funil) 
  • Adeque o conteúdo ao tom de voz da persona e do canal que será publicado

Foque no propósito do texto

CTAs precisam ser estratégicos. Para serem assertivos, eles precisam focar no objetivo daquele texto específico. Para isso, na hora do planejamento, é importante basear o briefing em algumas perguntas como:

  • Para que persona o conteúdo será escrito?
  • Que estágio do funil está?
  • Qual meta ou objetivo a marca quer atingir ao investir na produção do post?
  • Qual ação você quer que os visitantes realizem com a leitura?

Ter essas respostas claras facilita muito o planejamento de conteúdo otimizado e obter o resultado esperado com ele. O que pode ser: aumentar o número de pedidos pelo site ou conseguir novos clientes pela internet, etc.

Planeje conteúdo com base em dados

Para fugir do achismo, a dica é usar algumas ferramentas de Marketing Digital. Isso porque elas ajudam a planejar e produzir conteúdo otimizado tendo como suporte bases de dados reais e métricas. 

O que permite que você construa textos que respondem as verdadeiras dúvidas das suas personas, usando as keywords adequadas, para os conteúdos trazerem os resultados que você deseja. 

Use técnicas de SEO no processo de escrita

Depois de planejar o texto com a ajuda das ferramentas, é hora de escrever. É durante a produção de conteúdo que as otimizações são aplicadas (hierarquia de headings, listas numeradas e keyword estrategicamente posicionada, etc.).

Caso você tenha percebido que seu conteúdo não está otimizado, é possível  sempre melhorá-lo aplicando técnicas de SEO nele. É mais fácil com a ajuda de experts, porém com a leitura deste post você já consegue implementar algumas coisas. 

Conclusão

Conteúdo otimizado para SEO é fundamental para ajudar as pessoas a encontrarem a informação útil para elas rapidamente em meio a um texto de 500 palavras ou mais (alguns chegam a 2000). 

O que é indispensável nos dias de hoje já que a maioria dos brasileiros acessa a internet pelo celular enquanto estão vivendo suas vidas cotidianasí. E muitas vezes, a pesquisa no Google é feita para que a pessoa consiga realizar uma ação ou aprender algo rápido para aplicar naquele momento.  

Por isso textos com técnicas de otimização para buscadores são tão importantes nos dias de hoje. 

Além de facilitar a vida do usuário, ainda agiliza a varredura dos robôs do Google em seu site. O que permite mais rápida indexação e, em muitos casos, a melhoria de posição no ranqueamento. 

Quer aprender mais sobre produção de conteúdo e Marketing Digital para aplicar no seu negócio? Acompanhe o blog Marketagem e também nosso canal do YouTube. Quer receber conteúdo em primeira mão? Então é só assinar nossa newsletter.  

Como montar um mix de Marketing Digital

Já ouviu falar alguma vez nos famosos 4Ps do Marketing? Produto, Praça, Preço e Promoção são os componentes do tradicional composto de Marketing. E por isso foram adaptados para a realidade do online. 

Quer saber como montar um mix de Marketing Digital usando esses 4 conceitos básicos na prática? Então fica ligado neste post porque você vai aprender o passo a passo de forma simples e prática. Confere só!

O que é mix de Marketing

Também conhecido como Composto de Marketing, o modelo mais popular foi criado por Jerome McCarthy, na década 60, e até hoje é aplicado. 

Mas, precisou ser atualizado para poder continuar norteando um eficaz plano de Marketing Digital, em pleno século XXI, embora a base não tenha mudado tanto. 

Hoje em dia é possível encontrar diferentes modelos de mix de marketing como os do 7Ps e 8Ps. 

Porém, o fato é que independente do composto de marketing que sua empresa vai adotar, o mais importante é ele estar bem estruturado. Isso porque assim será possível obter sucesso com ele.  

Modelo 4Ps

  • Produto: reúne pontos básicos como elaboração de política de garantia, identidade visual única, análise da concorrência e até mesmo ações para fortalecimento da marca. E tudo precisa ser fundamentado em dados de mercado.  
  • Preço: são as formas de pagamento, parcelamentos, além de descontos e prazos. Ou seja, as principais vantagens que o consumidor terá na transação ao adquirir seu produto ou serviço.
  • Praça: são os pontos de venda como loja virtual, loja física, marketplace, call center, etc. E inclui ainda toda a gestão de logística, distribuição e armazenamento.
  • Promoção: são as maneiras que o produto ou serviço será promovido. Portanto engloba tradicionalmente Publicidade e Propaganda, Trade Marketing e Relações Públicas. Mas, hoje em dia com as novas tecnologias e o Marketing Digital, esse P inclui até Redes Sociais.  

Modelo 7Ps

Adicionou aos tradicionais 4 Ps (produto, preço, praça e promoção) mais 3 Ps importantes: 

  • Physical Evidence: traduzido como evidências físicas, engloba desde a identidade visual consistente ao bom atendimento. Do site com boa navegabilidade e design até o ambiente físico da empresa ( ex: imóvel que expressa a cultura organizacional, equipamentos que refletem a modernidade da marca, etc,).
  • People: a humanização do Marketing é algo cada vez mais praticado e esse P tem tudo a ver com isso. Isso porque é sobre pessoas da empresa. Quem são os colaboradores e quais suas habilidades e/ou expertises que podem ajudar os consumidores. 
  • Partner: a gestão de parcerias por meio de um bom relacionamento com os fornecedores e a constante busca por novas parcerias estratégica são os principais exemplos desse P. 

Modelo 8Ps

Assim como os 7Ps, o modelo de mix de marketing com 8Ps mantém os 4Ps básicos (produto, preço, praça e promoção).Porém, inclui mais 4 Ps:

  • Pessoas: os colaboradores que são as pessoas da empresa (capital humano).
  • Processo: relacionado ao P de produto, é sobre os procedimentos realizados para uma produção efetiva. Ou seja, metodologias usadas pela empresa e fluxos que resultam em melhor experiência do usuário.  
  • Posicionamento: engloba o Physical Evidence do modelo 7Ps (identidade visual da marca, ambiente físico, site, bom atendimento, etc.) e associa à estratégia de posicionamento no mercado ( produtos baratos produzidos em larga escala? Ou produtos diferenciados com valor agregado e preço mais alto? Além de as atitudes para se aproximar do target, etc.  
  • Performance: é como a empresa mensura qualidade e produtividade por meio de KPIs e métricas. Ou seja, serve para garantir o sucesso da marca com base em metas e objetivos que são acompanhados e avaliados. Serve para entender como ocorre o sucesso do seu produto no mercado (as vendas foram por causa de uma promoção ou as pessoas enxergam valor agregado? )  

Como montar um mix de marketing digital: confira o passo a passo 

Como você pode perceber, em todos os modelos de composto de marketing. os 4 Ps tradicionais estavam lá. Então iremos focar neles. Confira como fazer na prática:

Produto

É o que sua empresa vai entregar para o cliente em forma de mercadoria ou serviço. Portanto para lançar um bom produto, é preciso ter definido bem claramente como ele vai melhorar a vida do seu público-alvo. 

Além de características mais detalhadas como design, nome, modo de usar e até mesmo o conceito dele. Então antes da produção do protótipo, é necessário responder algumas perguntas como:

  • Para quem é o produto? 
  • Quais buyer personas ele atende?
  • Como o produto resolve a dor da persona? Como isso acontece?
  • O que faz de diferente da concorrência?
  • Como é o produto (branding, visual)?

Preço

Mais do que a definição do valor monetário que seu serviço ou produto é comercializado no mercado, o preço no mix de marketing também tem a ver com o custo de produção, definição do preço da mercadoria, políticas de descontos e parcelamentos.

E até mesmo valor agregado e poder da marca ( ex: pode cobrar mais porque a marca é associada a status? Ou  ela é conhecida por seus preços baixos?). Então antes de estruturar esse P, a dica é responder algumas perguntas básicas como:

  • Qual é o custo de produção do produto?
  • O quão importante é o aspecto financeiro para seu perfil de cliente? 
  • A persona olha mais para preço baixo ou valor agregado?
  • Qual é o preço praticado pelos líderes de mercado do seu nicho? Como é o seu preço em comparação a eles? 
  • Qual é o preço praticado pela concorrência direta? Como é o seu preço em comparação a eles?
  • Qual seria o menor valor viável para a venda do produto? ( importante saber para quando for montar preços promocionais)
  • Qual seria o maior valor aceitável pelo mercado (a dica é utilizar pesquisas de Marketing para entender qual é o valor justo de compra para o consumidor) 
  •  Qual é o valor, que mesmo acima do preço da concorrência, seu target pagaria por seu produto?

Praça

É o local em que o cliente encontra o produto para venda. Em vendas presenciais, a praça pode ser uma loja física, um stand em shopping, entre outros. Já em vendas online, pode ser a loja virtual, o marketing place do Facebook ou Mercado Livre e similares ou até mesmo o site da marca.

Além disso, o P de Praça também envolve gestão de estoque, logística e abastecimento de pontos de vendas, entre outros. Para fluir bem, na hora de estruturar essa parte do mix de marketing é indispensável ter alguns pontos em mente como:  

  • Onde sua persona está? Onde ela costuma pesquisar o produto?
  • Como você vai vender o produto?: via e-commerce ou marketplace? Vai usar gateway de pagamento ou a venda será manual?
  • Quais são seus canais de distribuição?: ex: quais canais de Marketing Digital você pode contar?
  • Como os concorrentes vendem o produto deles?
  • Quais canais os concorrentes usam?

Promoção

É a forma de promover seus produtos ou serviços. No Marketing Tradicional, esse P é composto por eventos, publicidade, relações públicas, etc. Já no Mix de Marketing Digital, pode incluir social medias, buscadores (SEO), campanhas de e-mail marketing, entre outros planejamentos para canais digitais.

Dessa forma a jornada do cliente e o funil de Marketing tendo como foco o comportamento das personas do seu negócio costumam nortear a Promoção em um composto de marketing online. Confira algumas respostas necessárias para estruturar bem esse P: 

  • Quais canais serão usados para atrair novos usuários?
  • Quais canais serão usados para converter usuários em leads?
  • Quais canais serão usados para converter leads em possíveis clientes?
  • Quais canais  serão usados para converter possíveis clientes em clientes?
  • De que forma a concorrência se comporta em relação a jornada do cliente? E funil de Marketing / Venda?
  • Qual o período ideal para promover o produto?
  •  Existe sazonalidade? Ou não?

6 dicas para colocar o mix de marketing digital em prática na sua empresa

Analise seu nicho de mercado

O primeiro passo é entender o cenário como um todo. Quais os pontos fracos e fortes do seu segmento atualmente e os da sua empresa e também da concorrência.

Para isso, é preciso pesquisar bastante e analisar o resultado do que tem sido feito por você, pelo concorrente e também o comportamento dos consumidores (receberam bem o novo produto?; fizeram críticas ou elogiaram?, etc.). 

Olho vivo na concorrência

  • Quais os produtos ou serviços estrelas dos seus principais concorrentes?
  • E os lançamentos? Como foram realizados e recebidos pelo público-alvo? 
  • Quais ações de Marketing Digital eles estão realizando atualmente?
  • Estão trazendo bons resultados para o concorrente?
  • Como sua empresa poderia fazer ainda melhor?
  • Como a estratégia do concorrente pode trazer insights para seu negócio?

Determine perfis de clientes ideais para sua empresa

Antes de desenvolver um mix de Marketing Digital, é necessário entender muito seu target. O  que engloba clientes atuais e possíveis consumidores. 

Com base em pesquisas com dados reais sobre a realidade da sua empresa, é possível traçar os clientes ideais. Ou seja, as personas para quem você irá desenvolver o produto e se comunicar para vendê-lo ou gerar mais leads.  

Crie buyer personas 

Para construir as personas de Marketing Digital, é necessário humanizar dados de seus clientes reais e prospects para criar segmentações que permitam ações de Marketing e Comunicação mais efetivas.

Então, por exemplo, se seu público-alvo é mulheres de 25 a 70 anos, donas de casa de classe média, você terá que criar diferentes personas para poder personalizar a comunicação e o relacionamento. Ou seja, obter melhores resultados usando a segmentação ao seu favor. 

Dentro do target citado acima, por meio de pesquisas de persona, é possível construir algumas distintas como: 

  • Dona Maria, 65 anos, aposentada. É vaidosa. Adora comprar cosméticos e o salão de beleza é mais do que um lugar para se cuidar, é como uma visita a amigas. 
  • Fernanda, 38 anos. Não é muito fã de salão de beleza e centros de estética, mas costuma frequentar, uma vez por semana, porque precisa manter uma boa aparência principalmente por questões profissionais. Gosta de ser atendida pontualmente porque não tem tempo a perder. 
  • Jéssica, 15 anos. Sempre vai com a mãe ao salão de beleza e centros de estética porque acha divertido o programa em si e também porque adora rituais de beleza e se sentir mais bonita com eles. E por aí vai…

Uma ótima dica para facilitar a construção de personas, é baixar o Kit Persona Marketagem que está disponível na nossa Página de Materiais Gratuitos. Nele você encontra as principais perguntas para criar personas e muito mais.  

Defina um objetivo claro para nortear o composto de Marketing

O que sua empresa quer alcançar exatamente com o investimento no mix de marketing digital? 

Aumentar as vendas online, por exemplo, é o principal resultado que os e-commerces querem atingir. 

Mas, pode não ser o foco de empresas que oferecem serviços e usam estratégias de Inbound Marketing para criar ações de acordo com cada etapa da jornada do cliente. E assim realizar vendas na hora certa.   

Nesse caso, o crescimento a base de contatos (leads) para o setor de vendas entrar em ação, no fundo do funil, costuma ser o principal objetivo de Marketing Digital. Mas, até chegar nesse ponto, várias conversões precisaram ocorrer antes. 

Portanto para o composto de marketing trazer bons resultados, a dica é entender qual resultado seu negócio pretende. Dessa forma é possível nortear a estratégia e as ações  de maneira mais assertiva.

Trace uma estratégia de Marketing Digital 

Para isso, é necessário analisar dados do seu negócio, da concorrência e do público-alvo. Dessa forma você entende melhor as necessidades do seu target e descobre como anda seu nicho de mercado.  O que permite traçar a estratégia mais assertiva que precisa estar documentada em um plano de Marketing Digital.

Vale lembrar que para saber se ela está realmente dando certo, é indispensável que você estabeleça KPIs e métricas para acompanhar as ações que serão desenvolvidas em cada P do mix de marketing. 

Além disso, é preciso também destinar budget para cada um. E planejar como alocar os recursos em cada canal de Marketing Digital e nas diferentes ações. 

Principais canais de Marketing Digital

Integrantes do P Promoção do mix de marketing no digital, esses canais equivalem aos tradicionais TV, eventos, publicidade, etc. E podem complementá-los se sua estratégia incluir canais offline. O que é mais comum ocorrer em empresas grandes que têm budgets altos para Marketing. 

Portanto as ações nos diferentes canais digitais precisam estar bem alinhadas entre si. E elas servem principalmente para promover seu produto, serviço ou marca trazendo pessoas para sua praça (que pode ser loja virtual, site institucional, etc.)  

  • Social Medias: são as ações coordenadas de marketing realizadas em redes sociais como Facebook, Instagram, LinkedIn etc. E precisam estar planejadas com base em metas e no objetivo. 
  • E-mail: são as campanhas de Marketing Digital realizadas via correio eletrônico seja para vender diretamente por meio de cartas de vendas online e anúncios (Outbound Marketing) ou apenas para estreitar relacionamento com os leads como uma preparação para vendas Inbound futuras. 
  • Busca orgânica: engloba as estratégia de SEO porque são as ações de Marketing Digital para buscadores com foco em aumentar tráfego orgânico e awareness (consciência da marca). Ou seja, que vem da parte orgânica das páginas de resultados de pesquisa (SERP) do Google, Bing, etc. 
  • Mídia Paga: diz respeito aos links patrocinados nos motores de busca, redes sociais, e-mails, etc. O foco é aumentar tráfego pago e o conhecimento de ofertas da sua marca .  
  • Referral Traffic: é o canal de Marketing Digital que está relacionado às ações de Link Building porque utiliza backlinks em sites de terceiros para aumentar o tráfego e ampliar a consciência da marca ou informar sobre produtos ou serviços.
  • Tráfego direto: é quando o internauta digita o site da sua empresa direto na barra de navegação. Ou seja, requer um conhecimento prévio da sua marca, produtos ou serviços para isso. 

Faça plano de Marketing Digital para cada canal, mas com total alinhamento entre eles

Depois que você traçou a estratégia mais assertiva de acordo com o objetivo que sua empresa pretende alcançar, é hora de planejar ações coordenadas para atingir metas. Por isso uma dica importante para o mix de Marketing Digital trazer resultados é ter foco e planejamento.

Portanto uma campanha no Instagram, por exemplo, precisa ser planejada para aumentar o engajamento e fortalecer a marca. Com o intuito de aumentar o tráfego para o site e assim crescer o número de conversões e leads nele. Caso o objetivo do Marketing Digital seja aumentar a quantidade de leads. 

Isso porque toda meta de cada canal precisa encaixar uma na outra para formar o objetivo desejado pela empresa. 

Metas e ações dos 4Ps do mix de marketing precisam estar alinhadas

O foco no mesmo objetivo deve ocorrer também em cada um dos 4 Ps do mix de marketing. E para isso, é necessário o alinhamento total na estratégia de Marketing Digital. Para entender melhor na prática, confira o exemplo abaixo:  

Imagine uma pizzaria na Black Friday. A pizza napolitana (produto) está 60% OFF (preço) em todas as unidades da rede (praça). Essa mesma informação precisa estar anunciada no Facebook e igualmente em  todas as redes sociais (promoção) e nos canais offline (se houver).

Dessa forma o mix de marketing está alinhado e a comunicação consistente. O que evita, por exemplo, que alguém chegue na pizzaria e reclame que viu no Instagram 50% OFF, mas no outdoor era 70%. E assim você tenha um desgaste com o cliente e precise dar o desconto maior por puro desalinho nas ações de marketing.

Conclusão

O mix de Marketing Digital é indispensável para atingir bons resultados. Basta ter um objetivo claro e conseguir alinhar produto, praça, preço e promoção em uma mesma estratégia. E esse mesmo alinhamento precisa se estender aos canais online e offline da empresa.

Mas, o primeiro passo para usar o composto de Marketing ao seu favor é analisar o mercado, conhecer seu público-alvo e estudar a concorrência. E, claro, depois montar uma estratégia eficaz embasada em dados. E documentá-la em um plano de Marketing Digital assertivo e consistente.

Vale lembrar que, independente do modelo de composto de marketing você escolher, vai funcionar bem se você o estruturá-lo de maneira eficaz.

Quer aprender mais sobre Marketing Digital? Então acompanhe o blog Marketagem e assine nossa newsletter para receber nossas novidades por e-mail (posts, vídeos, entre outros). 

Como uma consultoria de Marketing Digital ajuda na sobrevivência e digitalização de negócios locais

A pandemia do Coronavírus mudou rapidamente a rotina dos brasileiros. Em tempos de quarentena e crise, a maioria das empresas precisou adaptar suas atividades para fazer vendas pelo celular e internet. E ainda levar suas operações para home office.

Já os consumidores também precisaram se familiarizar mais com compras online e, mais do que nunca, com os serviços delivery. E alguns dos novos comportamentos tendem a durar após o tempo de isolamento social.

Tem um negócio local ou empresa pequena que precisa de digitalização para realizar vendas online o quanto antes? Então acompanhe esse post Marketagem porque ele vai ajudar você a entender se vale a pena investir no digital e o porquê do investimento. 

Novos comportamentos dos consumidores requerem adaptação dos pequenos negócios por questões de sobrevivência

Uma recente pesquisa sobre os impactos da Covid-19 nos hábitos de compra e consumo dos brasileiros, realizada pela Opinion Box com 2101 pessoas em todo o Brasil entre 8 e 9 de abril, revelou as principais perspectivas para quando a quarentena acabar (e a crise gerada pela pandemia). Confira:

  • 53% dos entrevistados pretendem continuar comprando de pequenos produtores/locais. 
  • 49% devem manter as compras do supermercado online   
  • 44% possivelmente irão seguir em home office

Além disso, o estudo comprova que durante esse período de isolamento, as pessoas estão passando muito mais tempos na internet. Desde o início da pandemia, 63% dos entrevistados estão mais online. 

E houve um crescimento de compra de comida delivery (de 26% em 27 de março para 40% entre os dias 8 e 9 de abril).   

Presença online se tornou uma necessidade com a quarentena

Na prática, o que todos dados acima revelam é que sua empresa não precisa mais ficar restrita à loja física e ao atendimento presencial. Isso porque a forma de relacionamento e consumo das pessoas mudou inesperadamente.

E essa rápida adaptação também precisa ser aplicada aos pequenos negócios e empresas locais para tentar sobreviver à crise. Por esse motivo ampliar o alcance das vendas explorando o digital é um passo importante para resistir aos impactos financeiros do Coronavírus.

Para isso, você pode começar criando perfis da marca no Google Meu Negócio e nas redes sociais por serem prático e gratuito. 

Mas, é importante ter um plano de Marketing Digital para não começar a postar e depois parar. Em um segundo momento você pode evoluir para um blog, campanhas de e-mail marketing e até mesmo um site da empresa. 

Dessa forma é possível digitalizar sua empresa permitindo que as pessoas façam transações e pedidos pela internet, além de tornar mais fácil manter um relacionamento próximo com seus clientes atuais e futuros. 

Use sua rede de contatos para vender mais

Se sua empresa já tem presença online, é preciso mensurar para saber se ela está realmente gerando resultados para o negócio. Ou se as pessoas apenas interagem com seu perfil no Instagram ou Facebook, mas não compram nada com você. 

Dessa forma sua empresa entende como os usuários se comportam em relação a sua marca e ainda cria novas estratégias de vendas usando inclusive as rede sociais da marca para potencializar resultados.  

Então a dica é reverter o quadro aproveitando esses contatos para estreitar relacionamento e tentar converter, ao máximo, seguidores em clientes. 

O que uma consultoria de Marketing Digital pode fazer por negócios locais  

  • Digitalizar a empresa: reunir especialistas experientes para colocar a mão na massa para sua empresa ter presença online e poder continuar atendendo seus clientes também pelas redes sociais. 
  • Fazer o planejamento de redes sociais junto com você: a consultoria cria planos e ações para produzir conteúdo para Instagram e/ou Facebook, além de definir o que precisa ser mensurado.
  • Ensinar Marketing Digital para você e sua equipe: com base nas demandas da sua empresa, o time da consultoria ensina tudo o que você precisa saber para manter sua empresa no digital. Ou seja, o aprendizado é totalmente focado na prática e personalizado de acordo com suas necessidades reais. 
  • Dar insights: como o compartilhamento de conhecimento é totalmente baseado na realidade da sua empresa, durante o processo de aprendizado e acompanhamento, os experts podem dar insights para melhorar os resultados no digital.
  • Acompanhar tudo de perto: além de ensinar você a planejar e executar, uma boa consultoria de Marketing Digital também acompanha os seus progressos. Aqui no Marketagem, por exemplo, isso é feito via skype por 90 dias.  

Como descobrir se vale a pena levar sua empresa para o mundo digital

Avalie se seus produtos ou serviços também podem ser vendidos online 

Existem casos em que não é viável a digitalização da empresa porque não há como comercializar o produto ou serviço por meio do Marketplace do Facebook ou Mercado Livre por exemplo. E nem mesmo por loja virtuais ou sites institucionais. 

Seja porque não é permitido por lei seja porque o serviço ou produto em si impede. Mas é importante você considerar todos os fatores, além dos próprios custos operacionais. 

Além disso, não deixe de conferir como está seu fluxo de caixa hoje e quanto tempo dá para se manter com ele sem vender nada.   

Analise se sua empresa tem estrutura para vender pelas redes sociais

Outro fator importante é saber se o negócio tem mesmo condições de vender pela internet e realizar entregas dentro do prazo. Além disso, é importante contar com um atendimento de qualidade nas redes sociais. Então é preciso se perguntar:  

  • A equipe está capacitada para gerenciar pedidos e atender bem pelas redes sociais?
  • Sua empresa tem recursos tecnológicos para transformar internautas em clientes?
  • Consegue adaptar a atual logística e a gestão de estoque para a nova realidade digital? 

Descubra se seus clientes também comprariam seu produto pela internet

Outra forma de saber se a digitalização da sua pequena empresa vale o investimento é entender o comportamento dos seus clientes atuais. Se a maioria tem o hábito de consumir outros produtos ou serviços online, a chance de começarem a comprar pela internet com você também é grande.

Já se a maior parte nunca comprou nada pela web porque não sabe fazer isso ou simplesmente desconfia das transações online, então oferecer canais digitais não vale a pena no seu caso.

Porém, essa importante informação para sua tomada de decisão precisa ser baseada em dados reais. Ou seja, obtidos com entrevistas e pesquisas com seus atuais clientes e possíveis consumidores.

Para isso, a dica é perguntar a quem compra na sua loja física (nem que seja em uma conversa informal) se compraria também o seu produto pela internet. Caso a resposta seja positiva, descubra como faria isso: 

  • Pelo Facebook ou Instagram?   
  • Pelo Mercado Livre?
  • Por meio de um site da marca ou loja virtual? 
  • Quais seriam as melhores formas de pagamento para eles?

Portanto aproveite esse momento de redução das atividades para manter contato com seus clientes e prospects. E entre uma conversa e outra vá obtendo suas respostas. Ou então crie um pequeno questionário e envie para seu público-alvo pelo WhatsApp, redes sociais ou e-mail. 

Conclusão

Para muitas empresas pequenas, e até mesmo negócios locais, migrar para a internet tem sido uma maneira de continuar se conectando com os consumidores e possíveis clientes em meio à crise do Coronavírus. E assim sobreviver a proibição de abrir as portas realizando vendas pelas redes sociais ainda que temporariamente.

Mas, algumas mudanças de comportamento dos brasileiros por causa do isolamento social tendem a continuar mesmo após a quarentena como, por exemplo, priorizar a compra de pequenas empresas locais

Dessa forma vale a pena investir na digitalização do negócio porque sua marca passa a disponibilizar mais canais para as pessoas realizarem compras e serem atendidas de forma mais cômoda, prática e segura.     

Quer garantir que a migração para o online seja realizada da melhor maneira possível? A dica então é contar com o apoio de um  serviço de consultoria de Marketing Digital realizada por experts que planejam ações online junto com você. Tudo sob medida para seu negócio!

Como o Marketing Digital pode ajudar sua empresa em momentos de crise

Já parou para pensar como a adaptabilidade e inovação podem salvar empresas em tempos difíceis? 

Com a imprevisível crise do Coronavírus, as pessoas tiveram que praticar isolamento social e a maioria passou a consumir o necessário para sobrevivência. Até mesmo pelo aumento do desemprego e a crise econômica como um todo. 

Além disso, a forma de consumir precisou mudar da noite para o dia. E mais do que nunca os brasileiros passaram a utilizar serviços delivery, realizar pedidos por WhatsApp e se comunicar com as empresas usando redes sociais e sites.  

Sua empresa não estava preparada para isso? Precisa se adaptar o quanto antes, mas não sabe muito bem por onde começar? Então acompanhe esse post Marketagem porque você confere dicas fundamentais para sobreviver em tempos difíceis e até mesmo se fortalecer como marca no pós-crise.  

Aproveite a crise para determinar onde sua marca quer chegar

Em momentos complicados como esses, é uma boa hora de colocar a mão na massa para garantir a sobrevivência e ainda construir melhores resultados ao longo prazo. 

Mas, o primeiro passo para isso, é entender onde sua empresa esteve até agora para poder fazer as mudanças necessárias agora e ainda ir além, após os tempos difíceis. Para isso, olhe para o negócio como um todo. E só depois para cada parte dele como o Marketing Digital.  Portanto as dicas são:

  1.  Analise dados e resultados (para onde pretendia ir se não existisse crise e para onde ele está indo com ela)
  2. Faça uma projeção do fluxo de caixa. Por quanto tempo ele resiste com a queda nas vendas? 
  3. Trace um plano para se adaptar à nova realidade do seu negócio nos tempos difíceis (caso ainda não tenha um)
  4. Planeje novas estratégias e ações para seu negócio
  5. Reavalie processos (detecte gargalos que existiam antes da crise para resolvê-los antes dela acabar. Aproveite para aprimorar os processos da toda empresa em geral)  
  6. Invista na produção de conteúdo. Mas, comece pela gestão de redes sociais porque é mais simples de implementar e menos custoso para sua empresa (em um primeiro momento).

Seja ainda mais útil para seu público-alvo

Para isso, sua empresa precisa ficar de olho nas audiências. Portanto é necessário o monitoramento das redes sociais. Dessa forma você poderá entender, de verdade, como sua marca pode fazer a diferença na vida dos seus clientes e possíveis consumidores. Confira algumas dicas:

  • Descubra quais os sentimentos deles em relação à crise
  • Crie estratégias de posicionamento da marca com base nisso
  • Identifique os principais desafios deles para oferecer novos produtos ou serviços que melhorem a vida dessas pessoas. Inclusive facilitando-as a atingir metas e objetivos
  • Compartilhe conhecimentos relevantes que sua empresa domina   
  • Motive e engaje seu público (incentive-os a fazer planos para o pós-crise e entenda o que sua marca pode fazer para melhorar o bem-estar das pessoas

Mergulhe na era digital porque o tempo é de inovar

Nunca se praticou tanto home office e realizou tantas compras sem sair de casa (delivery e online) em todo o mundo quanto em tempos de distanciamento social por causa da Covid-19. 

E esses novos comportamentos revelaram a necessidade de digitalização de empresas. Ou seja, manter presença online e também permitir que as operações ocorram de maneira remota. 

Isso porque a crise ocasionada pelo Coronavírus acabou antecipando tendências. E hoje para sobreviver, até pequenas empresas, precisam aprender a vender também pela internet e redes sociais. E mais do que nunca: o atendimento precisa ser humanizado e centrado nas pessoas. 

Além de terem que contar com tecnologia que permita acompanhar as mudanças dos consumidores para não ficarem para trás

Adaptação é a palavra-chave para superar dificuldades econômicas

Existem empresas que estão esperando o isolamento social passar para começar a agir. Ou seja, estão assumindo um risco alto. 

Já outras estão lutando para se adaptar ao momentos de crise. Reinventando produtos ou serviços para torná-los mais úteis aos consumidores. E assim captar clientes mesmo em tempos difíceis.

Desenvolvendo novas soluções para melhor se adequarem a essa nova forma de consumo de pessoas e empresas. Isto é, adaptando o processo de vendas B2B e B2C para a nova realidade que o Coronavírus acabou criando. E os negócios que estão tendo essa proatividade, têm muito mais chance de sobreviver à crise. 

Portanto, mesmo que você gerencie uma microempresa ou de pequeno porte, a dica é se adaptar ao momento difícil para sobreviver e ainda se antecipar a fase pós-crise para chegar lá ainda mais forte.   

Marketing Digital é estratégico para os negócios

Você sabia que com a crise do Coronavírus, os segmentos que sofreram impactos diretamente como turismo, automóvel, alimentação e lazer reduziram os investimentos em publicidade na TV? 

O que faz todo sentido. Mas, seria uma boa estratégia dessas empresas realocar esse orçamento (budget) em Marketing Digital. Assim seria possível planejar e executar ações nas Redes Sociais para humanizar e fortalecer a marca. Só para citar um exemplo.

Em momentos difíceis, muitas empresas deixam também de investir no canal online porque julgam não trazer aumento de receita imediatamente. Mas, ocorre que esses investimentos são cada vez mais necessários para as pessoas conhecerem sua marca, se relacionarem com ela e realizarem compras futuras. 

Sem contar que há diferentes canais de Marketing Digital e alguns realmente só dão retorno ao longo prazo. Mas, outros trazem ao curto e médio como os anúncios online (Ads) e o atendimento via redes sociais.  

De acordo com um estudo recente realizado pela Kantar Brasil Insights, em tempos de Covid-19, o investimento na marca é uma das estratégias mais assertivas assim como o controle de despesas internas. Confira:

É hora de demonstrar a personalidade da marca

Muito antes da crise do Coronavírus, o mercado já tinha a humanização do Marketing como forte tendência. Mas, em tempos difíceis como esse, a personalidade da sua marca será fundamental até para sobreviver.

Ainda segundo o estudo realizado pela Kantar, grandes empresas têm se posicionado de diferentes maneiras:

  • Lutando e ativando: atitudes proativas para estarem mais fortes no pós-crise porque se recusaram a ser vítimas
  • Fortalecendo e liderando: testando e confiando na vitória 
  • Criando estratégias e planejando: preocupado, mas analisando estratégias com muita cautela
  • Preservando e defendendo: estão inseguros e preocupados com sua marca e com os outros
  • Colaborando e aceitando: com preocupação, mas compartilhando esperança
  • Evitando e desviando: sendo otimista

Para dar exemplos práticos dos dados acima, basta comparar o posicionamento das marcas Nike e Havaianas. Ambas vendem calçados, mas têm personalidades bem diferentes. O que é refletido nas atitudes perante à crise.

A famosa marca de tênis optou por incentivar as pessoas a praticarem atividades físicas sem precisar ir para a rua, por meio dos apps da Nike, compartilhando a seguinte mensagem: jogue dentro de casa, jogue pelo mundo). 

Ou seja, colocou em prática o posicionamento lutar e ativar. O que além de fortalecer a marca ainda realmente está colaborando para o comportamento que defende. 

Já a mundialmente conhecida marca de sandálias de dedo, optou por convidar as pessoas a ter empatia. Com o mote, “Vista as sandálias dos outros”, a Havaianas incentiva o compartilhamento de mensagens positivas e de esperança. Ou seja, a personalidade da marca prevalece  assumindo de maneira positiva o evitar e desviar

Assim como as grandes marcas, sua empresa (por menor que seja) também precisa se posicionar. Dessa forma consegue se fortalecer mais. E principalmente se aproximar do seu target o engajando-o por meio de Marketing Digital nas Redes Sociais

Produza conteúdo para redes sociais

Mantenha presença online conversando com suas audiências. Caso ainda não tenha perfis comerciais no Instagram e/ou Facebook, o período de crise pode ser uma excelente oportunidade para começar. 

Mas, antes tenha certeza que seu público-alvo está nessas social media. Caso contrário, não vale a pena o investimento.

Caso já invista em redes sociais da empresa, é preciso ter em mente que não é porque o período é delicado que sua marca deve se calar. Ou ficar apenas compartilhando promoções. 

Aliás, de acordo com um estudo realizado pela Kantar, em que 500 consumidores brasileiros foram ouvidos em março de 2020, 80% desaprovou o uso do tema Coronavírus para promoção de marcas.

O que postar nas rede sociais em momentos de crise

As principais informações que os consumidores brasileiros querem ver compartilhadas em perfis comerciais de Instagram e Facebook, ainda de acordo com a pesquisa da Kantar Brasil Insights são as seguintes:

  • Como a empresa está se esforçando para superar o momento difícil
  • Como a marca pode ser realmente útil no cotidiano das pessoas
  • Quais os valores da sua empresa 

Outra dica fundamental para criar conteúdo que faz sentido para suas audiências é consultar o Google Trends. Descubra o que as pessoas estão mais pesquisando nesse período de crise em relação ao seu mercado na ferramenta gratuita do Google.

A partir daí, é só planejar e produzir conteúdo de qualidade, útil e informativo, sobre os assuntos em alta nas redes sociais da sua empresa. 

Quer aprender mais sobre planejamento estratégico para redes sociais?  Então confere o vídeo abaixo porque nosso especialista Léo Asp explica o fundamental.

Conclusão

Adaptação é a palavra-chave para superar momentos difíceis inclusive para micro e pequenas empresas. Em tempos de dificuldades, é preciso entender onde sua empresa está para traçar novos planos e estratégias para superar tudo isso com inovação.

Além disso, nos momentos de crise também se planeja o sucesso que você terá quando ela passar. Lembre-se: o isolamento social não será eterno. 

E quando essa época difícil finalmente passar, você pode até atingir resultados melhores do que tinha antes da quarentena se trabalhar duro até nessa fase de incertezas.

Precisa de ajuda para colocar a mão na massa e começar suas ações de Marketing Digital? Conheça o serviço de consultoria em Marketing Digital que ajuda você a vender mais nas redes sociais e ainda ensina tudo que você precisa saber sobre online.  

Scroll to top
Abrir a conversa
1
Fale com um especialista pelo Whatsapp
Olá! 👋
Caso tenha alguma dúvida, fale com um especialista por aqui!