Telefone:
(21) 3620-8232

Autor: Anna Cecilia

Dicas de redação para blog

A produção de conteúdo de qualidade é indispensável nas estratégias de Inbound Marketing. E o blog da empresa, em muitos casos, é peça fundamental porque reúne visitantes que, após um longo relacionamento com a marca, podem se tornar clientes.

E muitas vezes essa jornada tem início em uma despretensiosa pesquisa no Google. Já que o buscador mais usado do mundo lista para os usuários os melhores conteúdos sobre o que procuram. Então sempre que seus posts estiverem entre eles, as chances das pessoas clicarem aumentam bastante. 

Ou seja, uma boa redação para blog faz toda a diferença na atração de pessoas para esse canal. Mas, também é essencial para manter internautas navegando pelas páginas e até mesmo para incentivar conversões. 

Quer algumas dicas para melhorar seus posts? Então acompanhe esse conteúdo porque vou compartilhar alguns segredos de profissional com você. Confere só!  

Saiba exatamente para quem está escrevendo

O primeiro passo para produzir conteúdo de qualidade para blog é saber quem é  seu leitor. E isso requer pesquisas de Marketing para identificar o público-alvo e segmentá-lo, por meio da criação de personas, para que a comunicação seja mais assertiva.

Por isso saber para que perfil de leitor você está escrevendo é essencial para que eles tenham conexão com seus posts. O que facilita obter maior engajamento. O que pode resultar em mais compartilhamentos nas redes sociais, comentários no blog e até assinaturas de newsletter. 

Isso porque as personas de Marketing Digital servem para orientar a produção de conteúdo e possibilitar a criação de posts realmente úteis para os diferentes perfis de leitores do seu blog.  

Quem é redator web costuma receber no briefing todas as informações sobre a persona que precisa para produzir textos que envolvem. Já quem tem blog, precisa fazer o trabalho sozinho. 

Não sabe por onde começar a entender quem são seus leitores? Então dá uma conferida nos nossos posts sobre personas:

Una criatividade e estratégia

Quem trabalha com produção de conteúdo é considerado do time de criativos. Mas, na verdade, é necessário muito mais do que criatividade (embora ela seja mesmo indispensável) para escrever posts, gerenciar um blog e fazer Marketing de Conteúdo.

No caso da redação web, não é simplesmente deixar a imaginação fluir a cerca de um tema. É necessário muita pesquisa em fontes confiáveis, além de organizar as ideias no texto de forma clara, didática e atraente. E ainda trabalhar estrategicamente tanto o storytelling quanto as palavras-chaves no post.

A parte estratégica da redação para blogs também inclui otimização de conteúdo para SEO .E tudo isso precisa ter como base a intenção do usuário, que no caso dos blogs, é informacional já que a pessoa ainda está no topo do funil de marketing

Ou seja, no início da jornada do cliente, pesquisando para se informar, entender ou aprender sobre algo. Portanto ainda não está pronta para realizar uma compra. 

Planeje a estrutura do texto antes de começar a escrever

Se tem uma coisa que escritor tem medo é do famoso “branco”. E para prevenir esse problema, um santo remédio é criar o esqueleto do texto antes de colocar a mão na massa. 

Se você é redator web e recebeu um briefing, a dica é colar as informações no documento que será escrito e ir criando a estrutura a partir dele.

Isso vai direcionar sua pesquisa, além de evitar o nervoso de se deparar com o arquivo em branco. O que normalmente faz a pessoa não ter ideia por onde começar a escrever. E o resultado é procrastinação. Confira  outras vantagens de organizar a estrutura do texto, antes de escrever:   

  • Reduz consideravelmente as chances de ter o temido branco de escritor
  • Otimiza tempo de produção de conteúdo, sem impactar a qualidade do texto
  • Evita procrastinações porque você não vai começar do zero e não verá o documento em branco na sua frente
  • Direciona a pesquisa
  • É mais difícil fugir do tema porque você não perde o foco 
  • Você produz textos mais organizados e assertivos
  • Você já começa a escrever o post com base em hierarquia de headings e com as keywords nos lugares estratégicos

Otimize o conteúdo do blog para SEO

As técnicas de otimização de texto para os mecanismos de busca são indispensáveis para seus posts conquistarem a primeira página do Google. Confira algumas dicas de SEO para conteúdo de blog:

  • Pesquise palavras-chave relevantes: use ferramentas gratuitas para descobrir volume de busca como o como Ubersuggest. Já para estruturar o conteúdo do post, vale a pena conferir o Answer The Public e o próprio Google Search (na parte de pesquisa relacionadas)
  • Use a palavra-chave principal com estratégia e naturalidade: para isso, é só colocá-la: no título do post (Heading 1 = H1); em um dos H2; até 5 vezes em posts de  até 700 palavras (mais ou menos); com linkagem apenas 1 vez (texto-âncora); na URL e no texto ALT da imagem. Na hora de otimizar title e description no WordPress, também não esqueça dela. 
  • Explore o campo semântico: para não repetir a keyword principal, a dica é ampliar a web semântica usando variações dela ( (plural, singular, feminino e masculino), palavras-chave de cauda longa (long tails), sinônimos e termos relacionados. 
  • Produza posts com escaneabilidade: ou seja, que facilitem a leitura dinâmica do internauta de modo que ele encontre rapidamente a informação que procura. Isso  melhora consideravelmente a experiência do usuário e facilita até os robôs do Google que acabam indexando mais rápido seus posts. 
  • Crie hierarquia de headings: título (H1), subtítulos (H2),  intertítulos (H3) são o que chamamos em SEO de Headings e elas são fundamentais para a escaneabilidade do conteúdo. Vale destacar que existe uma subordinação entre elas. Para você entender melhor vou comparar H1 com o Brasil, H2 com cada estado, H3 com cada cidade. 
  • Faça linkagem interna: essa tática é fundamental para manter seu internauta dentro do blog e combater a alta taxa de rejeição. Mas, os links precisam ser naturais e coerentes com a URL de destino. Ex: se eu linkar o termo livros de marketing, ao clicar a pessoa tem que encontrar informação sobre leitura na área. Caso contrário, será inútil para ela. 

Quer dicas para usar keyword naturalmente? No vídeo abaixo, eu explico como colocar palavras-chaves sem exageros. 

 Escreva no tom de voz da marca

Se você é dono de blog, a dica é criar um estilo de escrita para reforçar a identidade dele falando a “mesma língua da persona”. Vale a pena inclusive documentá-lo para criar um manual de produção de conteúdo.

 Já se você é redator web, também precisa escrever os posts de acordo com o tom de voz da marca. Ele costuma estar registrado em um manual que informa a pegada que o conteúdo deve ter, as palavras e expressões que são recomendadas e ainda as que a empresa não quer ser associada a ela. 

Ou seja, mais do que um simples manual de redação da empresa, o guia de tom e voz da marca serve para trabalhar Branding usando  as formas adequadas de comunicação com as diferentes personas.

Não esqueça das Call To Action (CTAs)

A persuasão não é o objetivo principal da produção de conteúdo para blogs, mas ela pode fazer a diferença nas estratégias de Marketing de Conteúdo e Inbound Marketing quando está no lugar certo e no tom mais adequado para um post. 

É nas chamadas para ação (Call to Action ) que dá para escrever em um blog com uma pegada um pouco mais persuasiva, mas sem deixar de lado o objetivo educacional dele. Você pode inclusive inserir CTA em qualquer parte do post (vai depender do seu objetivo com essa tática).

  • Para incentivar a pessoa a continuar a leitura: a dica é colocar CTA no último parágrafo da introdução apresentando inclusive um motivo forte para o internauta ler até o fim.
  • Para estimular comentários no post: a dica é finalizar o texto com CTA que faça uma pergunta aberta interessante para a pessoa sentir vontade de responder.
  • Para  promover um material gratuito: CTA pode estar em qualquer parte desde que faça sentido. A dica é incentivar o internauta a fazer download explicando que o conteúdo mais aprofundado é algo realmente útil para ele.

Chame para a ação, mas de um jeito orientador que é típico de blog

Uma dica de ouro é não exagerar em Call To Action em posts. O ideal é ter apenas 1 ou 2 (no início e no fim ). De vez em quando, pode até colocar um terceiro CTA no meio de um texto grande, de preferência para informar o usuário da existência de um material gratuito relacionado ao conteúdo do post.

Além disso, é fundamental que as chamadas para ação tenham um tom de naturalidade, e se possível, utilidade. Ou seja, evite um tom vendedor porque geralmente cerca de 80% dos leitores de blog costumam estar no topo do funil. E os outros 20% estão distribuídos entre meio e fundo. 

Conclusão

A redação para blog é a base para que as estratégias de topo de funil de Inbound Marketing funcionem bem. 

Por meio de uma escrita simples, mas de qualidade, seu blog pode engajar com histórias encantadoras, responder às principais dúvidas dos internautas e até facilitar o Google encontrar suas páginas. 

Quer aprender mais sobre produção de conteúdo e Inbound Marketing? Assine a newsletter Marketagem para ficar por dentro das nossas novidades. Todos os posts são escritos por experts!

5 livros de Marketing Digital para você aprender planejamento

Alinhar metas e objetivos de diferentes segmentos da empresa, inclusive com os do negócio, é fundamental antes de começar um bom planejamento de Marketing Digital. 

Por esse motivo é preciso, por exemplo, planejar estratégias de Inbound Marketing  em conformidade com as de Vendas. Caso contrário, a chance do resultado não ser o esperado é enorme.  

Além disso, uma dica legal é aprender conceitos de Marketing porque torna mais simples realizar o planejamento. 

E para facilitar sua vida, reunimos neste post 5 livros sobre Planejamento de Marketing, inclusive alguns com foco no digital. Confere só:         

Planejamento de Marketing Digital 2ª edição

Lançado em 2015, pela Editora Brasport, a 1ª edição do livro tinha 256 páginas. A obra fez tanto sucesso que virou best-seller. 

Em 2017, teve o lançamento da 2ª edição, após atualização do material, que agora conta com 288 páginas e ainda ganhou a importante contribuição de Keller (co-autor do livro Administração de Marketing) no capítulo 2.

Escrito pelo coordenador do MBA e pós-MBA da FGV, André L. Miceli, e o gerente de Marketing Daniel O. Salvador, “Planejamento de Marketing Digital 2ª ed.” é um dos poucos livros em língua portuguesa que falam especificamente sobre planejamento de marketing online.  E ainda inclui:

  • Cases
  • Ferramentas novas
  • Frameworks
  • Métricas 
  • Tendências de tecnologia

Por contar com uma pegada mais prática, a obra é recomendada principalmente para quem tem e-commerce ou site da marca e também para aqueles que pretendem ter. A publicação, por exemplo, ensina a montar o Diagrama de Soluções Digitais (DSD) com uma versão aprimorada pelos autores. 

administração de marketing

Administração de Marketing

Publicada em 1960, essa obra clássica escrita por Philip Kotler em parceria com Kevin Lane Keller não podia ficar fora dessa lista.

Isso porque o capítulo 2 é sobre desenvolvimento de estratégias e plano de marketing.

É nessa parte do livro que os autores apresentam a seguinte definição: 

“Um plano de marketing é um documento escrito que resume o que o profissional de marketing sabe sobre o mercado e que indica como a empresa pretende alcançar seus objetivos. Contém diretrizes táticas para os programas de marketing e para a alocação de fundos ao longo do período de planejamento”. 

Além de encontrar conceitos, ao longo desta verdadeira Bíblia do Marketing, você aprende sobre diferentes tipos de planejamento como: 

  • Planejamento estratégico corporativo e em nível de divisão
  • Planejamento estratégico de unidades de negócios
  • Planejamento de produto: a natureza e o conteúdo de um plano de marketing
  • Conteúdo de um plano de marketing
  • Planejamento de uma estratégia de brand equity
  • Planejamento de um site atraente 
  • Planejamento da força de vendas  

Ou seja, é leitura obrigatória para quem quer entender sobre processos de Marketing principalmente a parte de planejamento.

marketing 4.0

Marketing 4.0: Do tradicional ao digital

Lançado em 2017, pela Editora Sextante, o livro de Philip Kotler com co-autoria de Hermawan Kartajaya e Iwan Setiawan tem 203 páginas sendo que a primeira parte conta as mudanças ocorridas no Marketing nos últimos anos. 

“Acreditamos que a convergência tecnológica acabará levando à convergência entre o marketing tradicional e o marketing digital” – afirma Philip Kotler no Prefácio. 

Como o comportamento do consumidor está diferente assim como a jornada de compra (que agora passa por momentos online e outros offline), o planejamento de marketing precisou ser adaptado a essa nova realidade. 

De acordo com a obra, hoje as empresas precisam integrar suas estratégias de marketing em todos os canais que possuem para fazer o consumidor não sentir diferença entre atendimento e compra pela internet ou pela loja física. Ou seja, se tornar omnichannel

A obra também deixa claro que no Marketing 4.0, o objetivo é mais do que vender, é fidelizar, tendo todo um cuidado pós-venda, para assim desenvolver clientes embaixadores da marca

marketing na era digital

Marketing na Era Digital: conceitos, plataformas e estratégias

Quem estuda SEO certamente já ouviu falar de Martha Gabriel. Já que ela também é autora de um livro famoso sobre o tema, além de fazer palestras em grandes eventos de Marketing Digital (já é até presença confirmada no Expo Digitalks 2020).

Para quem quer entender mais sobre planejamento, a dica é ler a primeira parte do livro Marketing na Era Digital da autora. Publicado em 2010 pela Editora Novatec, o livro dedica o capítulo 2 ao plano de Marketing e dentro do capítulo 1 (sobre conceitos essenciais) você aprende sobre planejamento estratégico de marketing.

A obra, que tem 419 páginas, é dividida em 4 partes e também fala sobre metodologia de plano de marketing de busca no capítulo dedicado a SEM e SEO. Mas, você também encontra capítulos sobre Redes Sociais, Mobile Marketing, E-mail Marketing, etc. 

planejamento estratégico de marketing

Planejamento estratégico de Marketing 4ª ed.

Lançado em 2004, pela Editora FGV, o livro chegou a sua quarta edição em 2011.

Escrito por 4 autores (Sandra Hoelz Fernandes, Helton Haddad Carneiro da Silva, Evandro César Tenca e Paulo Henrique Schenini), “Planejamento estratégico de Marketing” reúne experiência de mercado e acadêmica (teoria e prática).

Encontrada em versão física e em e-book, a obra é dividida em 4 partes:

  • Cap1: Alinhamento empresarial: fala sobre análise de cenários, definição de negócio, conceitos do planejamento estratégico de marketing, entre outros. 
  • Cap 2: Identificando oportunidades: 3º passo do PEM,  oportunidade de negócios, as matrizes (SWOT, BCG, Ansoff, etc.), entre outros assuntos relacionado ao tema.
  • Cap 3: Arquitetura estratégica: 4º passo do PEM, definição de objetivos e metas, mix de marketing, conceito de estratégia, posicionamento, cadeia de valor, etc.
  • Cap 4: Fazendo o PEM acontecer: 5º e 6º passos do PEM, fluxo de caixa, feedback e controle, Balanced Scorecard, técnicas de apresentação do PEM, entre outros.

Conclusão

Um dos processos mais importantes de Marketing, o planejamento deve ser realizado com foco nos objetivos (que devem estar alinhados aos do negócio para melhores resultados). 

É nessa parte também que são definidos os indicadores de mensuração que serão avaliados periodicamente. 

Vale lembrar que plano e planejamento não são sinônimos embora sejam termos relacionados.

Enquanto o primeiro é mais tático, o segundo é algo estratégico. Portanto o plano está contido no planejamento. 

Pretende ler algum desses livros ou já leu? Compartilhe com a gente o que você achou ou suas expectativas sobre a obra. Quer dar suas dicas de leitura sobre planejamento de Marketing? Só deixar nos comentários abaixo.

Anna Cecília

Redatora web do Marketagem

Dia do Profissional de Propaganda: entenda mais sobre a profissão e relembre campanhas que entraram para a história

Você sabia que dia 17 de outubro é celebrado o Dia do Profissional de Propaganda?

Em homenagem a esses criativos experts na arte da persuasão, nós do Marketagem resolvemos fazer esse post. 

E nele você vai conhecer a diferença entre Publicidade e Propaganda, além de relembrar alguns exemplos inesquecíveis. Confira: 

O que é Propaganda?

O que é propaganda?

Para Marketing

No livro ‘Administração de Marketing’, a definição de Propaganda de Kotler e Keller é: “qualquer forma paga de apresentação não pessoal e promocional de ideias, bens ou serviços por um patrocinador identificado. Os anúncios são uma maneira lucrativa de disseminar mensagens, seja para desenvolver uma preferência de marca, seja para instruir pessoas”. 

Para Comunicação 

Mas, a definição de Kotler não é consenso no meio acadêmico. Tanto que há comunicólogos que defendem que Propaganda não é sinônimo de Publicidade.

Como é o caso do autor Ivan Santos Barbosa, que em sua obra ‘Propaganda e significação: do conceito a inscrição psico-cultural’ define: “Propaganda é mais abrangente, todo anúncio é nessa óptica, uma propaganda, mas nem toda propaganda seria publicidade.“

Para Linguística 

Já se você pesquisar em dicionários tradicionais irá encontrar definições de Propaganda como essas do Michaelis Online: 

  1. “Ato ou efeito de propagar.
  2. Disseminação de ideias, informação ou rumores com o fim de auxiliar ou prejudicar uma instituição, causa ou pessoa.
  3. Propagação de doutrinas, ideias, argumentos, informações etc., baseados em dados verdadeiros ou falsos, com o objetivo de persuadir ou influenciar o público em geral ou um grupo de pessoas”. 

Publicidade até aparece como a 4ª definição, mas deixando claro para o internauta que é um outro verbete. 

Já o Dicio, até entende Publicidade como sinônimo de Propaganda, mas a primeira definição que aparece é a seguinte: “Difusão de uma ideia, de uma crença, de uma ideologia ou religião: fazia propaganda da sua fé. “

Conceito de propaganda: dicas históricas

Sob o ponto de vista da Linguística e da Comunicação, a Propaganda tem cunho ideológico. Isso porque, propaga ideais em nome de instituições que podem ser de partidos a associações passando por ONGs e igrejas. E a História também reforça essa teoria. Confira:

  1. Tio Sam convocando homens dos Estados Unidos para servir na Segunda Guerra Mundial é um exemplo de propaganda inesquecível

  1. Joseph Goebbels era o Ministro da Propaganda da Alemanha na Era Hitler e não da Publicidade Nazista. 

  1. Em 1450, Gutenberg inventou a prensa móvel que revolucionou a História Mundial. E em 1482, a primeira propaganda criada com ela foi a de uma manifestação religiosa segundo o livro ‘Neuromarketing Aplicado à Redação Publicitária’. 

Então o que é Publicidade?

Nas palavras do comunicólogo Barbosa, o conceito de Publicidade é: “a campanha cuja finalidade é promover comercialmente um produto, serviço ou loja”.

Então por meio de técnicas de persuasão, em diferentes tipos de peças criativas, ela tem o objetivo de convencer pessoas a comprar ou fazer o público lembrar de determinada marca para futuramente adquirir produtos ou serviços dela.

E Outbound Marketing? 

Metodologia oposta ao Inbound Marketing (que é o Marketing de Atração), o Outbound nada mais é do que o Marketing Tradicional adaptado à Era Digital. 

Portanto é um processo de prospecção ativa que pode usar canais online e/ou offline no processo de vendas que costuma gerar resultados ao curto prazo ou até imediatos. 

Então quando falamos de Outbound Marketing, não tem como deixar de citar os anúncios online (os famosos Ads), as campanhas de e-mail marketing com intuito de venda direta (normalmente escritas por copywriters) e até mesmo as propagandas. 

Vale lembrar que, embora sejam opostos, Inbound e Outbound costumam funcionar muito bem juntos. 

No mercado de trabalho, profissionais de Propaganda e Publicitários disputam as mesmas vagas

Embora teoricamente a criação de campanhas ideológicas seja a expertise dos profissionais de Propaganda, na realidade do mercado de trabalho brasileiro, não há distinção. Dessa forma eles podem atuar como publicitários, sem problemas, e vice-versa. 

Até porque a maioria das universidades nacionais preparam os alunos para trabalharem tanto em Publicidade quanto em Propaganda. Dessa forma, os dois profissionais estão aptos a criar campanhas de Mídia Paga Online  e/ou Offline.

Vale lembrar que Redatores Publicitários e Diretores de Arte também podem criar propagandas para campanhas políticas (que costumam render alta remuneração durante o projeto) e até para Organizações Sem Fins Lucrativos como colaboradores ou voluntários. 

Quer saber mais sobre a carreira de Redator Publicitário? Assista nosso webinar “Será que redator é tudo igual?” com o redator publicitário Felipe Silva, a redatora UX Cris Luckner e comigo, Anna Cecilia!  

3 propagandas online para entender de vez a diferença conceitual 

A Jornada – MSF

Essa propaganda do Médicos Sem Fronteiras (MSF) tem como finalidade o aumento de doações. Para isso, os profissionais de Propaganda sensibilizaram o público com o trabalho real dos voluntários.

Ligue 188 – CVV

De cunho informativo, a propaganda do Centro de Valorização da Vida (CVV) foi criada para informar a população sobre o novo número e dizer que é gratuito. 

The Autocomplete Truth – ONU

A propaganda da Organização das Nações Unidas (ONU) tem o intuito de defender uma causa: empoderamento feminino/ combate ao machismo.

Conclusão

Mesmo com conceitos diferentes, para alguns estudiosos de Comunicação e Linguística, na prática Propaganda e Publicidade são sinônimos em Marketing e também no mercado de trabalho no Brasil.  

Até porque as universidades de Publicidade e Propaganda (PP) preparam os alunos para trabalhar em qualquer uma das profissões assim como os cursos de Marketing Digital que ensinam a criar campanhas de Google Ads e Facebook Ads. 

Então não precisa se preocupar com as distinções conceituais se quiser trabalhar com isso. O importante mesmo é aprender estratégias e táticas para aplicar no mercado e conquistar o emprego dos seus sonhos ou empreender na área.  

Já tinha parado para pensar que Publicidade e Propaganda pode não ser a mesma coisa? Conte para a gente nos comentários o que você acha sobre essa diferença conceitual e deixe suas dúvidas sobre Mídia Online. 

Anna Cecília

Redatora web do Marketagem

UX Writer, Redator Publicitário e Redator Web: Entenda o que faz cada tipo de redator

Essa é uma dúvida comum até entre profissionais de Marketing Digital (não só de quem é universitário ou pretende entrar no mercado). Apesar de um

Qual a diferença entre Inbound Marketing e Marketing de conteúdo?

Essa é uma dúvida comum até entre profissionais de Marketing Digital (não só de quem é universitário ou pretende entrar no mercado). Apesar de um conceito ter tudo a ver com o outro, Marketing de Conteúdo e Inbound Marketing não são a mesma coisa. Quer entender a diferença? Fique ligado então no nosso post.

Scroll to top