Autor: Daniel

Marketing digital para pequenos negócios: dicas essenciais

Pequenos negócios nem sempre possuem recursos grandiosos para investir em publicidade.

Se você tem um pequeno negócio, saiba que o marketing digital é uma excelente opção de alcançar consumidores, gastando pouco.

Conheça dicas essenciais de marketing digital para pequenos negócios, para começar a aplicar estratégias hoje mesmo!

Tenha presença digital

Essa pode parecer uma dica básica, principalmente porque estamos falando de marketing digital, mas saiba que muitos pequenos negócios ainda não possuem uma presença na internet.

Essa presença pode ser feita de diferentes formas, desde a criação de um site próprio, até páginas nas principais redes sociais.

Ao elaborar essas páginas, lembre-se de preencher com informações relevantes, como endereço físico (se houver), link para o e-commerce e o que o seu pequeno negócio oferece.

Para empresas com ponto físico, é importante criar uma conta no Google Meu Negócio, para colocar sua marca no mapa da sua cidade!

Trabalhe com marketing de conteúdo

Marketing de conteúdo é um conceito que se popularizou nos últimos anos, graças ao crescimento das redes sociais.

A proposta aqui não é fazer publicações “por fazer”, mas sim pensar no que seria útil para o consumidor, como ele poderia aprender algo com sua marca.

O marketing de conteúdo também é uma importante ferramenta para colocar seu site entre os primeiros colocados nos mecanismos de buscas. 

Assim, ao usar palavras-chave em uma publicação no seu blog, você pode ser encontrado com mais facilidade, o que acaba por trazer mais relevância para o seu site como um todo.

Entenda de planejamento

Por mais que o marketing seja uma área criativa, suas atividades não são realizadas de forma aleatória. Tudo envolve um planejamento complexo, que vai das ideias de publicidade até as finanças.

Por isso, na hora de fazer marketing digital para pequenos negócios, não deixe de realizar um bom planejamento.

Para quem não tem experiência no assunto, um curso de auxiliar administrativo ou temas relacionados pode ser útil. Afinal, o planejamento faz parte das rotinas administrativas.

Com conhecimento no assunto, entender quais são seus próximos passos para divulgação, ou mesmo criação de ideias, fica muito mais simples.

Reserve um valor mensal para o marketing

O orçamento de pequenos negócios não costuma ser muito grande. Mas, ainda assim, é preciso se programar para reservar um valor mensal para o marketing.

Não importa se essa reserva começar com R$100: o importante é que você tenha um dinheiro, todos os meses, para pensar em formas de divulgação para utilizá-lo.

Hoje, com pequenos valores, já é possível criar publicidade nas redes sociais, que possuem um bom alcance.

Você também pode usar esse valor para montar kits e enviar para influenciadores, que talvez gostem do seu produto, e acabem divulgando em suas próprias redes, sem altos custos de publicidade.

Faça parcerias

E por falar em influenciadores digitais, uma das melhores dicas de marketing digital para pequenos negócios é fazer parcerias.

Certamente, na sua cidade, existem pessoas que possuem uma certa popularidade, homens e mulheres que acumulam mais de 10 mil seguidores, com um bom alcance local.

Normalmente, esses influenciadores digitais de pequeno porte cobram um valor relativamente baixo para fazer parcerias. 

Assim, vale ficar de olho nesses perfis que se destacam localmente, para propor algum tipo de divulgação.

Acompanhe os resultados

Fazer análises de números é algo presente em toda estratégia de marketing – inclusive no marketing digital.

Dessa forma, quando você começar a colocar em prática as dicas essenciais de marketing digital para pequenos negócios, crie um controle numérico para acompanhar ao longo dos meses.

Nesse controle, você pode incluir o número de seguidores nas redes sociais, quantas visitas no perfil foram feitas, qual o alcance, como está sua interação. Todos esses números são fáceis de achar nas redes sociais.

E claro, lembre-se de monitorar o faturamento. Assim, é possível tirar insights do que funcionou e do que não deu certo, para replicar e ampliar as boas ideias.

Aproveite as ferramentas do marketing digital para pequenos negócios e veja o quanto de sucesso sua empresa pode alcançar!

Metadescription: Pequenos empreendedores podem se beneficiar ao aplicar estratégias de marketing digital. Confira algumas dicas essenciais!

Digitalização: mudanças no modelo de negócios imobiliários

Veja como a digitalização tem gerado nas oportunidades para a compra e venda de imóveis

Com processos complexos e mudanças cada vez mais aceleradas, o mercado imobiliário se encontra no processo de digitalização das empresas. 

Esse movimento tem obrigado diariamente empresários a repensarem os seus modelos de negócios, a fim de continuarem atuando e gerando novas oportunidades para quem está a busca de um apartamento à venda no Flamengo, por exemplo. 

Isso consiste em deixar de lado a competição pela oferta de produtos através das ferramentas tradicionais de marketing e passar a investir em novas formas de realizar comunicação e atendimento, que geram conexões reais com os consumidores. 

Atualmente, ao contrário do que vinha sendo praticado até então, é necessário estar em constante revisão do modelo de negócio que vem sendo praticado, para manter o sucesso no mercado. 

Sempre que for necessário, é importante realizar mudanças, com foco no que é melhor para os parceiros e clientes. Mas a verdade é que o que impede as imobiliárias de estarem cada vez mais digitais é o medo em investir na transformação digital. 

Isso porque ainda existe muita desinformação sobre esse processo e algumas barreiras, humanas e tecnológicas, que acabam por impedir a inovação nas formas de comprar e vender imóveis. 

A fim de deixar esse tempo para trás, você vai conhecer a seguir algumas dessas dificuldades e qual a melhor forma de superá-las. Confira: 

Quais as barreiras para a digitalização das imobiliárias? 

Mesmo com a transformação digital batendo à porta, muitas imobiliárias ainda encontram uma certa resistência para aderir ao digital, seja pela questão da adaptação ou desconhecimento sobre as formas de trabalho nesse novo formato. 

Essa situação é mais comum do que parece na maioria das empresas e geralmente são motivadas por dificuldades em comum, que aparecem na maioria dos negócios no segmento imobiliário. 

A começar pelo fato de que migrar para um modelo de negócio digital pode inviabilizar ou até mesmo por fim o modelo de trabalho atual, o que assusta muitos empreendedores. 

Outra característica bastante comum é buscar em desenvolver inovações apenas com os clientes atuais da empresa, sem traçar uma estratégia que envolva toda a carteira ou foque na aquisição de novos contatos. 

Também é possível que os dirigentes do negócio estejam focados em diminuir as chances de risco e as possibilidades em variedade, para manter a tradição da empresa, conquista ao longo de anos. 

Por fim, não é incomum encontrar executivos que estejam focados apenas nas suas áreas de competência dentro da empresa ou ainda aqueles que sejam resistentes, em virtude do sucesso do negócio desde a sua fundação. 

Seja qual for a situação da sua imobiliária, o primeiro passo para migrar para o digital é justamente abraçar a causa e investir em uma estratégia efetiva de transformação. 

Conheça as etapas de transformação digital na venda de imóveis 

Quero dar início a digitalização da minha imobiliária. Por onde devo começar? Essa é uma pergunta comum entre os empreendedores e nem sempre tão simples de ser resolvida. 

Isso porque digitalizar um negócio, independente de qual for o mercado ou segmento, não tem a ver apenas com criar um site da empresa ou estar presente nas redes sociais, é preciso mudar a visão da forma de fazer negócio. 

Mas não se preocupe, existem algumas etapas da inovação, que vão ajudar a te guiar nesse processo. A primeira delas está relacionada com a digitalização de fato. 

Na hora de migrar o seu negócio, é preciso que todas as informações e processos relacionados a ele estejam no digital, para viabilizar o trabalho. Então, ao começar, invista em transformar dados em arquivos digitais, que são armazenados pela empresa. 

Com as informações acessíveis no digital, o passo seguinte é mudar a forma de encarar a sua forma de fazer negócio. Embora isso vá variar de empresa para empresa, vale a pena conhecer diferentes conceitos nessa busca como Inteligência Artificial, Big Data, Internet das Coisas, Criptomoedas e ainda Blockchain. 

Já a transformação digital em si tem o foco no trabalho operacional, ou seja, que ferramentas irão vir a ser implementadas e utilizadas para possibilitar o trabalho independente da localização. Ao realizar essa escolha, é importante que a atenção esteja focada naquele processo que vai ser melhor para todas as pessoas, incluindo colaboradores e clientes. 

Quando se fala em modelo de negócio, é possível que a migração para o digital transforme para sempre a forma de dar sequência nos próximos passos da empresa. Mas isso também significa gerar novas oportunidades para a criação de produtos e serviços. 

Outro ponto importante está relacionado à experiência do cliente. Para realizar esse tipo de mudança, é fundamental entender a que forma o seu cliente se comporta e quais são os melhores caminhos que vão fazê-lo fechar negócio. 

E a última, mas não menos importante etapa de transformação digital, é o processo operacional da empresa. O uso de ferramentas digitais é uma das formas de garantir que o negócio funcione de forma inteligente, além de medir o desempenho e a interação entre os colaboradores. 

Dicas para digitalizar o seu modelo de negócio imobiliário 

Mais do que digitalizar as tarefas e os processos, realizar a transformação digital muitas vezes implica em dar início a um novo modelo de negócio.

Para estruturar ou remodelar um modelo de negócio é necessário responder com sinceridade a três perguntas: quem é seu cliente? Qual sua proposta de valor para atender as necessidades do seu cliente? E quais são os processos e recursos necessários para entregar essa proposta de valor? 

Não são perguntas fáceis ou simples de serem respondidas. Entretanto, para um negócio ter sucesso é fundamental que a sua proposta de valor atenda uma necessidade real do mercado, para criar valor e atrair novos consumidores. 

Com um modelo de negócio estruturado, você será capaz de despertar a atenção das pessoas, muito mais do que oferecer um produto ou serviço. Criar um negócio inovador (e digital) não significa apenas ampliar a oferta de produtos, mas o valor vivenciado pelos clientes. 

Empreendedorismo digital: é possível começar com um site simples

Criar site institucional em WordPress é um passo fundamental para se tornar empreendedor digital

Você é um profissional autônomo que está na dúvida se um site simples consegue atender bem suas demandas?

Então confere esse post Marketagem para entender melhor o que é empreendedorismo digital e como um site institucional, até mesmo sem blog, pode ajudar a ganhar dinheiro na internet com sua carreira freelancer ou sendo um microempreendedor individual (MEI). 

 O que é empreendedorismo digital

Quando uma pessoa cria um negócio para funcionar exclusivamente pela internet com o objetivo de ter lucro é chamado de empreendedor digital. Mas, o conceito se ampliou ao longo dos anos  com a popularização da internet, e passou a englobar também os casos de digitalização de empresas

Ou seja, quando um negócio que já existe no offline  passa por uma transformação digital para se adaptar às novas tecnologias para operar também pela internet para faturar também pelo online

O que pode ocorrer com a criação de site institucional ou com vendas pelo WhatsApp ou até mesmo uma simples presença nas redes sociais como Instagram ou Facebook, entre outras ações.

Como ser empreendedor digital 

Fazer um site simples é um passo fundamental para o empreendedorismo digital, mas não é o  primeiro e nem o único. 

Na verdade, dependendo de como você pretende ganhar dinheiro com a internet, o caminho pode ser bem parecido com o de um empreendedor tradicional. E pode ser bem diferente quando a empresa já existe e está migrando para o virtual ou aumentando a operação para atuar também online. 

Ou seja, a resposta para a pergunta como ser um empreendedor digital é complexa porque depende do seu caso específico. Porém, alguns passos são recomendados para a maioria dos casos como:

  •  Faça um bom planejamento financeiro: inclusive para não misturar suas finanças pessoais com as finanças do negócio (o que costuma ser péssimo para a saúde financeira independente se a empresa é digital ou física) 
  • Estude o mercado: identificar oportunidades em produtos ou serviços e até mesmo o esforço de venda é possível com pesquisas de Marketing. Inclusive ajuda você a escolher seu nicho  
  • Analise a concorrência: ficar de olho no que as empresas ou empreendedores digitais que atuam no seu segmento fazem é importante para criar estratégias que trazem resultados e até mesmo entender como se relacionar com o público-alvo de maneira assertiva, criar boa reputação, entre outros benefícios.
  • Defina seu público-alvo: entenda o perfil de consumidor que faz sentido para o seu negócio online. Exemplo: homens de  25 a 40 anos da classe B com renda entre X e Y. 
  • Faça matriz de SWOT: vale a pena fazer a análise  dos seus pontos fortes e pontos fracos (ambiente interno), mas também das oportunidades e ameaças relacionadas ao ambiente externo
  • Crie um site institucional: até mesmo um modelo simples sem blog consegue trazer bons resultados e fazer a diferença para quem é profissional autônomo, MEI, freelancer ou pretende começar no empreendedorismo digital 
  • Crie perfis nas redes sociais: primeiro descubra quais as que o seu público-alvo está e concentre-se nelas. Para potencializar o relacionamento online, você pode criar um blog da marca para abastecer o Facebook ou LinkedIn, por exemplo, com informações relevantes. Ou então apenas criar conteúdo com apelo visual para o Instagram.
  • Entenda de Marketing Digital: por mais simples que o site seja, ele é um importante ponto de contato que pode inclusive permitir que outras ações de Marketing Digital sejam realizadas. Sem contar que para as pessoas descobrirem suas páginas virtuais, é preciso divulgá-las de diferentes formas: anúncios online nas redes sociais e/ou no Google, conteúdos atraentes nas redes sociais e em blogs, etc. 

Como ganhar dinheiro com empreendedorismo digital com a ajuda de um site simples  

Muitas pessoas que pretendem se tornar empreendedores digitais acham que para começar a ganhar dinheiro pela internet precisam investir em um site robusto e sofisticado com vários recursos para passar credibilidade e conseguir trabalhar bem o Marketing Digital. Mas, não precisa necessariamente ser assim. 

Isso porque um site simples em WordPress consegue entregar o que é fundamental para um profissional autônomo mostrar seu trabalho e um freelancer começar seu negócio. E também o que uma empresa física precisa para oferecer mais do que um cartão de visita virtual, mas um verdadeiro um ponto de contato online.  

Ou seja, esse tipo de site institucional reúne as páginas principais e os recursos básicos como:

  • Homepage
  • Quem Somos
  • Serviços
  • Contato
  • Depoimentos 
  • Geolocalização

site institucional é simples, mas permite começar trabalhar Marketing Digital e SEO

Redução de custos com criação de site institucional simples

A redução de custos é fundamental para profissionais autônomos conseguirem oferecer seus serviços com preços mais competitivos assim como os microempreendedores individuais e freelas. Por isso o investimento em um site simples pode fazer a diferença. 

O modelo é considerado um investimento relativamente baixo quando comparado às plataformas de ecommerces (mesmo colocando na conta os custos com domínio, registro e hospedagem). E no caso dos sites mais robustos, além de serem mais caros por não usarem templates prontos, dependendo de como forem construídos podem precisar de manutenção com o passar do tempo. O que precisa ser levado em conta também no seu planejamento financeiro. 

Já na comparação com o site Wix, apesar de ser gratuito, pode acabar demandando um investimento em um site simples em WordPress ao médio ou longo prazo. Isso porque ele tem limitações técnicas que inviabilizam algumas coisas, como por exemplo, a otimização de site para o Google (Search Engine Optimization mais conhecido como SEO). 

Sem contar que não suportam uma grande quantidade de arquivos. O que pode comprometer a experiência do usuário gerando até travamentos. Ou seja, costumam ser boas opções para sites pessoais, mas para empreendedorismo digital, acabam apenas adiando o investimento em site profissional.

Vendendo seus produtos ou serviços online

Empreendedores digitais costumam vender infoprodutos. O que pode ser feito por meio de um site simples. Basta criar uma página de venda de ebooks, cursos online, entre outros. O pagamento pode ser por meio de depósito na conta da sua empresa, via Pagseguro (ou outra solução para transações online), boleto bancário, etc.

Para a divulgação, você pode usar anúncios online nas Redes Sociais (Facebook Ads, Instagram Ads, etc.) e/ou no buscador Google Ads). Dessa forma você traz pessoas direto para a página. O que aumenta as chances de vendas. 

Vendas indiretas com Marketing Digital

Outra possibilidade é divulgar seus serviços no site, mas utilizar as estratégias de Marketing Digital para realizar vendas ao médio ou longo prazo. Como, por exemplo, com Inbound Marketing (Marketing de Atração).

Para isso, você pode criar um blog no seu site institucional (por mais simples que seja) e começar a produção de conteúdo que você pode divulgar nas redes sociais da marca e também para a base de contato (que foi gerada pelos formulários existentes no seu website) por meio de campanhas de email marketing.

Mas, lembre-se que SPAM  não é uma boa prática, então só mande mensagens para quem aceitou previamente o recebimento. 

Você pode ainda otimizar o site para aparecer nas primeiras posições do Google. O que facilita muito ser encontrado pelo seu público-alvo. E ainda confere mais visibilidade ao seu site (já ouviu aquela máxima: “se não está no Google, não existe” ?). Mas, esse não costuma ser o primeiro passo porque os resultados são ao médio ou longo prazo (pelo menos 6 meses, dependendo do caso).

Monetizar site simples também é possível

Outra forma de explorar as possibilidades de ganho com seu site simples, além da venda de produtos próprios nele, é colocando também anúncios de terceiros (por meio, por exemplo, do Google AdSense).

E até mesmo vendendo posts patrocinados (caso você tenha um blog nele). O que pode ser por meio de prospecção direta ou indireta. Caso você faça isso, a dica é mostrar ao leitor que se trata de um conteúdo patrocinado.

Sem contar que você pode ainda fazer reviews e avaliações de produtos de parceiros no blog do seu site profissional. 

Conclusão

Ser um empreendedor digital é o sonho de muita gente. Mas, para transformar isso em realidade e ganhar dinheiro na internet, não é preciso investir tão alto em um site robusto e sofisticado. 

É possível criar um site simples em WordPress para conseguir divulgar seus produtos ou serviços, fazer Marketing Digital, aparecer no Google e ainda explorar email marketing e as redes sociais para vender mais. 

Os modelos  de website com blog são os mais recomendados para profissionais autônomos, MEI e freelancers porque aumentam as possibilidades de trabalhar o Marketing Digital para gerar mais vendas ao longo prazo. Porém, também é possível empreender no online com um site básico sem blog mesmo. 

Quer aprender mais sobre sites e Marketing Digital? Assine nossa newsletter para receber os novos conteúdos por email. 

Quer melhorar sua proposta comercial?
Faça as perguntas certas para mais prospects virarem clientes com o Briefing + aula com expert em Vendas do Marketagem

O que você deve saber antes de criar o site profissional da sua empresa

Mais do que um cartão de visita online, o site institucional da empresa é uma ferramenta de comunicação e aquisição portanto precisa transmitir profissionalismo

Já ouviu falar que website é um simples cartão de visita online? Na verdade, ele pode ser muito mais do que isso. Um site profissional oferece diferentes recursos que permitem aumentar a base de contato da sua empresa (leads) e ainda trabalhar SEO e Marketing Digital. 

Ou seja, sites institucionais são verdadeiras ferramentas de comunicação e aquisição que permitem que sua marca seja encontrada no Google e inclusive pelas pessoas certas no melhor momento. 

Quer entender como fazer isso? E também outras coisas fundamentais que você precisa saber antes de criar um website profissional? Confere esse post Marketagem até o fim porque você vai descobrir os benefícios e custos de investir no site profissional da sua empresa. 

Benefícios de criar um site profissional da marca

  • Sua empresa oferece mais canais de comunicação: novos pontos de contato da marca, cada vez mais importantes, são criados quando você tem um site profissional. A página Fale Conosco é uma delas, mas também tem os emails corporativos que ajudam na comunicação e no fortalecimento da credibilidade da empresa.
  • A marca aparece no Google ou outros buscadores: quando sua empresa tem um site institucional, ela pode investir em SEO (Search Engine Optimization) que  é um conjunto de estratégias de otimizações de páginas realizadas para facilitar a vida dos usuários do Google e fazer seus possíveis clientes encontrarem seu negócio online.
  • Facilita geração de leads: os formulários presentes no site da empresa permitem que os internautas troquem seus dados pessoais por algo de interesse deles (ex: materiais gratuitos, entrar em contato com sua marca, etc.). E quando eles autorizam, é possível, por exemplo, desenvolver um relacionamento por meio de campanhas de email marketing, entre outras estratégias de Marketing Digital.
  • Permite segmentação de público-alvo: para realizar uma comunicação mais personalizada, a dica é organizar a base de contatos em segmentos. Além de facilitar a nutrição de leads (relacionamento via email marketing), também ajuda a oltimizar a produção de conteúdo do site por meio da criação de personas
  • Maior credibilidade: se antes ter um site era um diferencial competitivo, após a Covid-19 esse tipo de presença digital se tornou uma necessidade. Até porque quem não comprava online antes, passou a comprar. Sem contar que nos dias de hoje ser encontrado no Google é sinônimo de mais confiança dos internautas. 
  • Prova social: outra vantagem de ter um site institucional é poder reunir depoimentos de seus clientes. O que ajuda muito o seu negócio ganhar mais credibilidade e conquistar a confiança de quem ainda não conhece a marca.
  • Permite conhecer o comportamento dos visitantes mais a fundo: quando você tem um site profissional pago, como por exemplo no WordPress, por oferecer mais recursos, é impossível instalar pesquisas online e mapas de calor (heatmaps). O que ajuda tomar decisões com base em dados reais. Coisa que em sites pessoais não têm como fazer por limitações técnicas dos criadores gratuitos.

Criação de sites profissionais: ferramenta gratuita ou site pago?

Criar site grátis é recomendado para freelancers e MEI 

As plataformas de criação de site gratuito como, por exemplo, Wix são ótimas soluções para quem está começando e não requer uploads de arquivos pesados ou muitos documentos. Principalmente para pessoas que trabalham em um determinado nicho e querem conquistar clientes como freelancer. 

Isso porque são ótimos cartões de visita online servindo inclusive como site pessoal para portfólio (lembrando que não são recomendados para quem é designer ou fotógrafo porque esses profissionais costumam usar porfólios online específicos que são famosos na área por suportarem os tipos de arquivos que essas carreiras demandam). 

Criar site grátis também pode ser uma boa ideia para microempreendedores individuais (MEI) que estão começando no Marketing Digital. Principalmente quando também usam as redes sociais (Facebook, Instagram, LinkedIn) para promover seus trabalhos e manter o relacionamento com o público-alvo e fechar vendas. 

Porém, não costuma valer muito a pena para empresas em geral que desejam ser encontradas por seu público-alvo no Google ou outros buscadores. Isso porque os criadores de site gratuitos têm limitações tecnológicas como:

  • Não têm muitos recursos
  • Não permite customização 
  • Não tem como realizar otimizações de páginas (não tem como trabalhar SEO)

Criar site profissional pago é recomendado para empresas que querem ser encontradas no Google

Investir na criação de site profissional pago é um dos passos mais importantes no processo de digitalização de empresas

Isso porque, além de você criar novos pontos de contato da marca (Fale Conosco e emails corporativos – ex: email@suamarca.com.br), ainda está construindo as bases para que o Google saiba que suas páginas existem e até mesmo para a criação de campanhas de anúncios online no buscador (Google Ads).

Além de permitir o trabalho de SEO, criar site profissional pago também transmite maior credibilidade para sua marca. O que vai além de um layout bonito e funcional porque colabora inclusive no fortalecimento da comunicação visual da empresa. 

Isso é possível porque os planos pagos do WordPress, por exemplo, oferecem muito mais recursos e instalações de plugins. O que viabiliza a customização das suas páginas passando inclusive um ar de profissionalismo para quem acessa. 

E como a primeira impressão é a que fica, vale a pena ter um cuidado especial no site institucional. Até porque é por meio dele que muitos possíveis clientes acabam conhecendo seu negócio. 

Sem contar que o site pago possibilita a integração de diferentes canais de Marketing Digital da sua marca. O que costuma potencializar resultados das estratégias de Instagram e Facebook.

  • Permite que as pessoas encontrem sua empresa no Google
  • Site institucional pode ser customizado e otimizado para SEO
  • Layout mais personalizado agrega à comunicação visual da sua marca e transmite mais profissionalismo aos visitantes
  • Possibilita  potencializar resultados com Marketing Digital (ir além do Instagram, aumentando base de contato, trabalhando campanhas de email marketing e Google Ads, etc). 

Quanto custa um site profissional 

Ter um website da empresa feito com design customizado em um criador de site profissional com maior variedade de recursos como o WordPress é um bom investimento porque fortalece a marca, trabalha o Marketing Digital, faz a empresa aparecer no Google e até mesmo ajuda no crescimento das vendas. 

Portanto se você levar em conta a relação custo/benefício, é um investimento baixo que vale a pena porque traz resultados duradouros. Alguns ao curto prazo como o investimento em Google Ads e outros ao médio ou longo prazo como vendas nas redes sociais e SEO. 

Quer saber quanto você precisa investir em um site profissional para sua empresa? Não tem como informar um valor preciso, até porque o custo da mão-de-obra e das ferramentas para criação de site pago variam bastante. Mas, nós do Marketagem, vamos apontar os principais custos que você precisa colocar na planilha. Confira:

Domínio

É o endereço eletrônico do seu site propriamente dito. Como, por exemplo, https://marketagem.com.br/. 

Para ter um domínio. com.br como no nosso, você precisa fazer uma pesquisa no Registro.br para saber se o domínio com o nome da sua marca está disponível, caso esteja, é só comprar. 

O pagamento é anual e custa em torno R$ 40 e depois é so ir pagando as renovações. Mas, também tem como comprar registro por 2 anos por R$ 76. Vale lembrar que o registro da sua marca no INPI não é uma despesa obrigatória para quem tem site

Hospedagem

É a contratação de provedor para seu site. Lembrando que existem diferentes planos de hospedagem sendo que os mais básicos custam cerca de R$ 9,90 por mês. 

Vale lembrar que alguns serviços incluem SSL grátis por 1 ano (o Google entende o site como seguro quando tem esse certifiicado), domínio, 3 emails corporativos, além de armazenamento e transferência ilimitadas.

Desenvolvimento do site profissional 

Empreendedores que pretendem fazer um site profissional pago precisam contratar uma empresa ou freelancer, que emita nota fiscal, para desenvolver o website. Então esse custo varia bastante. 

Até porque há modelos mais simples como o site institucional sem blog e outros que requerem ainda mais customização como, por exemplo, o site institucional com blog, entre outros. 

Mas, para se ter uma ideia, um site profissional mais simples normalmente custa em torno de R$ 2 mil a R$ 4 mil. Então vale a pena pesquisar antes da compra.

O preço é um ponto a ser levado em consideração, porém não o único. Portanto a dica é levar em conta também expertise, experiência e reputação da empresa que vai criar o site profissional do seu negócio para você não ter decepções ou prejuízos futuros.

Marketing Digital precisa entrar também nos custos do seu site profissional

Como é uma área bem ampla, o investimento em Marketing Digital pode ser dividido em algumas áreas. Vale ressaltar que você não vai precisar gastar tudo de uma vez só e logo no início.

Os principais custos abaixo estão listados, mais ou menos, por ordem de prioridade. E inclusive faz mais sentido eles irem entrando na realidade do seu negócio conforme ele for ganhando maturidade no digital.

Ou seja, se você acaba de começar a digitalização da empresa, o investimento em redes sociais e site devem ser prioridades. 

Já se você tem site institucional há tempos (tem até blog da marca), tem presença online forte no Instagram e Facebook, então o investimento de anúncios online (Facebook Ads, Instagram Ads e até Google Ads) é recomendado. Enquanto SEO seria para o próximo passo.

  • Custos com produção de conteúdo das páginas do site
  • Orçamento dos anúncios online (Ads)
  • Custos com gestão de Redes Sociais
  • Investimento em email marketing
  • Investimento em SEO

Conclusão

A criação de sites profissionais é uma das etapas mais importantes no processo de digitalização de empresas. Isso porque um site institucional transmite mais credibilidade e profissionalismo a sua empresa quando é bem feito.

Além disso, com um website é possível ser encontrado no Google e elevar o trabalho de Marketing Digital do seu negócio a um outro nível. O que costuma trazer excelentes resultados ao médio ou longo prazo.

Aprenda estratégias de Marketing Digital com a consultoria Marketing Digital Marketagem

Criar site institucional: porque vale a pena investir em um website da empresa

Mais do que marcar presença online, ter site institucional transmite mais profissionalismo e credibilidade para as pessoas que ainda não conhecem sua marca 

Você sabia que quase 127 milhões de brasileiros estão ativos na internet de acordo com a pesquisa TIC Domicilio? E com o distanciamento social ocasionado pela pandemia Covid-19 provavelmente esse número aumentou bastante e deve ser refletido em pesquisas futuras.  

Para atender ao crescente número de internautas no Brasil e conquistar mais clientes para seus negócios, muitas empresas brasileiras estão investindo em Marketing Digital seja com a criação de um site, seja com os perfis da marca nas redes sociais.

Quer entender melhor porque cada vez mais empresas, de diferentes portes e segmentos variados, têm em comum o investimento em website

Então confira este post Marketagem porque você vai conhecer os principais benefícios que um site institucional pode trazer até mesmo para pequenas e médias empresas. Confira:

Site institucional deixou de ser apenas para grandes marcas 

Nos primórdios da internet comercial, em meados dos anos 90, quando o acesso à internet ainda era para uma minoria privilegiada e compras online era raridade no Brasil, criar site institucional custava caro. E valia a pena mesmo só para multinacionais e grandes empresas. 

Até porque, naquela época, ainda era considerado inovação tecnológica e agregava modernidade à marca. Para se ter uma ideia, o Jornal do Brasil foi o primeiro veículo da imprensa brasileira a ganhar sua versão online em 1995. O que era algo totalmente inovador até então.

Mas, atualmente, a realidade é outra. Empresas que não têm presença digital deixam mesmo de ser conhecidas por seu público-alvo e até mesmo abrem mão de aumentar as vendas (tanto no online quanto no offline). 

Isso porque as pessoas pesquisam no Google antes da compra na loja física e o inverso também. Podem conhecer um produto pessoalmente, mas só realizar a compra na internet.

O que é cada vez mais comum e acaba demandando que muitas marcas hoje estejam presentes em todos os canais de Marketing Digital (para uma experiência omnichannel do consumidor). O que traz melhores resultados até mesmo para negócios locais embora a escolha desses canais deva ser estratégica por questões de budget e até mesmo assertividade.

E no caso das empresas de pequeno e médio porte, além de fortalecer a marca e melhorar o relacionamento com clientes e prospects, digitalizar o negócio durante a quarentena realmente chegou a fazer a diferença entre a falência ou sobrevivência de muitas PMEs.

Investimento relativamente baixo 

site institucional é um modelo básico de baixo custo, quando comparado a uma loja virtual, e que não requer tantos gastos com manutenção e atualização de conteúdo. 

Isso porque normalmente a construção dele é toda feita em WordPress (que é um criador de site com código aberto que é usado por nada menos do que 38% da internet). 

Mas, é um investimento maior do que em sites pessoais (que servem de portfólio) que são boas opções para autônomos quem têm redes sociais. 

Porém, não costuma ser a melhor solução para empresas em geral porque não têm tanta capacidade de customização, além de os recursos serem muito limitados na comparação com WordPress. 

O que inviabiliza inclusive o trabalho de otimização de site para buscadores (mais conhecido como SEO: Search Engine Optimization). Ou seja, sites pessoais como o Wix acabam sendo mesmo um belo cartão de visitas online, mas não conseguem ajudar seu negócio a ser encontrado no Google como um site profissional consegue fazer quando bem otimizado.

Por isso o site institucional em Wordpres é ideal para pequenas e médias empresas. Vale lembrar que esse tipo de website é formado pelas páginas-chave que PMEs precisam ter:  

  • Homepage: funciona como uma verdadeira vitrine do site por reunir resumidamente informações fundamentais como geolocalização, o que é seu negócio, tipos de serviços e como funcionam, depoimentos dos seus clientes, e até mesmo vitrine de blog 
  • Quem Somos: serve para contar a história da empresa e outras informações estratégicas com o objetivo de passar credibilidade para os internautas, colaborar para a boa reputação da sua marca e gerar uma identificação e conexão com a missão, visão, valores, etc. 
  • Serviços: são páginas que resumem os tipos de produtos ou serviços que sua empresa oferece  
  • Depoimentos: o que as pessoas que já fecharam negócio com sua empresa acham dela é indispensável como prova social porque ajuda bastante a transmitir confiança a quem ainda não conhece sua marca
  • Contato: ter um formulário de contato facilita bastante a vida dos internautas na hora de se comunicar com sua empresa. Além disso, é indispensável para quem pretende fazer Marketing Digital e SEO porque é quando visitante entra para a base de contato (lead).

Aumenta a credibilidade da sua empresa

Com a popularização da internet e dos smartphones, as pessoas passaram a ficar conectadas no mundo virtual praticamente 24 horas, 7 dias por semana durante os 365 dias do ano. 

Com isso, um novo comportamento se tornou muito comum: antes de entrar em contato com a marca, normalmente o possível consumidor busca a empresa no Google.

E quando não encontra nada, essa falta de informação, costuma passar a sensação que o negócio não existe. O que pode fazer inclusive você deixar de realizar vendas por falta de um site institucional, de algum perfil nas redes sociais ou até mesmo um blog. 

No caso do website, ele é recomendado porque é mais do que um simples cartão de visita na internet. E quando o design é bem feito, as páginas são rápidas e fáceis de usar, o site corporativo alcança mesmo seu objetivo de passar credibilidade para as pessoas e ainda transmitir profissionalismo e expertise. 

Facilita sua marca ser encontrada no Google

Quando você opta por um site institucional em WordPress, as coisas costumam ficar mais simples para o Google e para os outros mecanismos de busca online. Para começar, facilita a indexação (coisa que o Wix, por exemplo, não consegue fazer e nos ecommerces tende a ser mais demorado).

Isso porque é possível usar plugins gratuitos e pagos que ajudam as páginas a carregar mais rapidamente inclusive na internet móvel, comprimir imagens para o site ficar mais leve, escrever conteúdo otimizado, entre outros detalhes que facilitam mesmo o trabalho de SEO.  

Permite trabalhar Marketing Digital como um todo

Criar site institucional também tem como vantagem possibilitar que sua empresa consiga trabalhar Marketing Digital como um todo. Ou seja, ir além do atendimento nas redes sociais e divulgação via Facebook Ads / Instagram Ads.

Isso porque sua marca consegue manter relacionamento com os prospects e clientes em todas as etapas da jornada do cliente e do funil de Marketing Digital usando os canais que são mais estratégicos e ainda tomando decisões com base em análise de dados com ajuda, por exemplo, do plugin Google Analytics para WordPress. 

Redes Sociais

Por serem ferramentas gratuitas que reúnem muitos internautas, as mídias sociais como, por exemplo, Facebook e Instagram costumam ser o primeiro canal de Marketing Digital que as empresas que não têm site utilizam para manter relacionamento com o público, realizar atendimento online e até mesmo vender pela internet.

Mas, vale lembrar que quando você tem um site institucional, os resultados das redes sociais podem ser potencializados se houver planejamento e alinhamento com as campanhas de, email marketing, anúncios online e até mesmo com o conteúdo do blog, etc. E sobretudo foco no público-alvo que também é usuário do Google.  

Blog

Se você quiser, sua empresa pode ter um modelo de site corporativo com blog. O que ajuda a atrair mais visitantes e aumentar a consciência da sua marca por parte dos usuários do Google. 

Ou seja, colabora ao longo prazo para seu negócio ficar mais conhecido pelo público-alvo que realmente interessa a você por meio da produção de conteúdo relevante para eles. 

SEO

O investimento em otimização de site para motores de busca ajuda a empresa não apenas a aparecer nas primeiras posições do Google.

Mas, também a levar visitantes para as páginas (tráfego orgânico), manter as pessoas navegando (por meio de otimizações de conteúdo e tecnologia) e até mesmo a aumentar conversões e vendas.

Ou seja, SEO quando bem alinhado com outras estratégias de Marketing Digital e Comunicação realmente consegue ajudar a trazer melhores resultados para o negócio. 

Google Ads

Assim como quem usa as redes sociais para negócios costuma criar campanhas de Facebook Ads e Instagram Ads para impulsionar conteúdos e produtos, no Google também dá para trabalhar campanhas de anúncios online só que usando o Google Ads.

Email Marketing

A página do formulário de contato, além de ser um canal de comunicação a mais da sua empresa, também revela que o internauta conhece sua marca e ainda pode estar tirando dúvidas ou solicitando orçamento porque realmente considera fechar negócio com sua empresa.

Dessa forma ele deixou de ser um simples visitante porque entrou efetivamente na sua base de contatos tornando-se um lead. 

E assim tem todas as chances de se tornar uma oportunidade e até mesmo cliente fiel. O que pode ser facilitado quando você envia uma sequência de email marketing para eles, entre outras ações que precisam ser previamente autorizadas por quem irá receber. 

Conclusão

Criar site institucional vem se mostrando cada vez mais um investimento que traz ótimos resultados para as empresas ao longo prazo.

Além de transmitir profissionalismo e mais confiança para quem pretende fazer negócio com a marca, ainda é um canal de comunicação eficaz que inclusive possibilita fazer Marketing Digital e trabalhar SEO para que sua empresa apareça no Google, entre outros benefícios.

Quer aprender mais sobre Marketing Digital para aplicar você mesmo no seu negócio? Então fica ligado aqui no blog Marketagem e assine nossa newsletter para receber novidades da á por email!

Digitalização de empresas: como descobrir se está na hora do seu negócio entrar no mundo digital?

A digitalização de empresas já é uma realidade no mundo há décadas. Mas, com a crise da Covid-19, se tornou uma questão de necessidade para a sobrevivência de muitos negócios no Brasil e no mundo levar a loja física também para o online .

Porém, estar presente no mundo digital não é algo que pode ser feito da noite para o dia. Isso porque a digitalização de empresas é uma etapa de um processo muito maior que é o de transformação digital.

Quer levar sua empresa tradicional para o mundo virtual, mas está na dúvida se é o momento certo? Confira este post Marketagem porque você vai descobrir quais os principais indícios que mostram que a hora de digitalizar sua empresa está chegando.   

Analise sua empresa como um todo e avalie os processos atuais dela

Softwares, aplicativos (apps), complementos, extensões e tecnologia na nuvem já fazem parte da rotina da sua empresa? Caso a resposta seja positiva, então é um primeiro indício que seu negócio está apto a operar no digital também. 

Antes de fazer a digitalização da empresa é importante ter em mente que não se trata apenas de criar a área de Marketing Digital

Para você obter bons resultados, é importante que toda a sua empresa esteja digitalizada para que já exista uma cultura de digitalzação, antes mesmo de fazer seu perfil comercial no Instagram ou criar um site da marca.  

Isso porque a presença digital gera oportunidades de negócios também com um novo tipo de consumidor: o internauta/usuário. E ele está acostumado a uma jornada de compra diferenciada e tem comportamentos diferentes de quem só compra na loja física como:

  • Pesquisa muito na internet para tomar decisão de compra (mesmo que compre em loja fisica)
  • Espera ter opção de atendimento online (não exatamente um chatbot, mas pelo menos, um SAC 2.0 humanizado e eficiente)
  • Compra online e offline
  • Recebe emails marketing (inclusive transacionais)
  • Avalia produtos, serviços e experiências pelas redes sociais e sites
  • Envia comprovantes pelo WhatsApp, Direct ou Facebook Messenger e recebe nota fiscal eletrônica por email
  • Entre muitas outras ações fundamentais que passam pelo digital sem ter a ver diretamente com o Marketing 

Por esse motivo seu negócio como um todo precisa estar adaptado para uma transformação digital específica como a criação de um perfil no Instagram ou um site da marca.

Entenda se o seu negócio tem condição de realizar entregas no digital com a mesma qualidade que faz na loja física

Sua empresa dá conta de atender bem, muito mais clientes, do que tem atualmente na loja física? 

Embora a digitalização de empresas não vá triplicar sua quantidade de consumidores de forma imediata, é importante planejar esse crescimento para manter a saúde financeira do seu negócio. Portanto se pergunte:

  • Quais ferramentas de Marketing Digital  e de outras áreas (CRM, ERP, etc.) sua empresa vai precisar contratar para o processo de digitalização?
  • Quais os custos com treinamento da sua equipe?
  • Precisa contratar mais gente para dar conta do atendimento online? 
  • Precisa de ajuda de especialistas em Marketing Digital e Vendas para conseguir entrar no digital e se manter no início? 
  • E por aí vai…

Existem diferentes ferramentas para ajudar empresas que estão no online. Elas facilitam do cruzamento de dados à gestão de tarefas. Da estratégia à execução e até mesmo a entender melhor seu público-alvo por meio de pesquisas de marketing e criação de personas

Mas, isso vai demandar treinamento e preparo das suas equipes que precisarão estar mais integradas do que nunca para realizar entregas de valor e atender bem os consumidores-usuários.

E não apenas em relação às ferramentas e aos processos, mas é necessário toda uma mudança de mindset para lidar com a nova realidade da empresa: ser digital. 

Portanto se o seu negócio já está passando por um update completo para atrair, conquistar e fidelizar clientes também no online, então esse é um outro forte indício que está apto para se tornar uma empresa digitalizada.

Descubra se o seu público-alvo está também no online

Além da mudança na operação em si, a própria cultura organizacional precisará ser transformada em uma cultura digital. 

Isso porque será preciso mais do que nunca entender o seu target para oferecer uma boa experiência do usuário para ele. O que ajuda, não apenas nas vendas online, mas na fidelização de clientes e desenvolvimento de embaixadores da marca. 

Confira alguns dados fundamentais que você precisa saber do seu público-alvo antes de ir para o digital:

  • Dores
  • Necessidades
  • Comportamentos
  • Expectativas
  • Dados demográficos
  • Dados socioeconômicos
  • Entre outras informações relevantes

Dessa forma é mais fácil entender as demandas dos seus clientes e prospects. E até mesmo tomar decisões estratégicas em relação ao Marketing Digital e Vendas com base no negócio como um todo.

Lembre-se: um dos fatores que mostram que vale a pena digitalizar sua empresa é quando o público-alvo, não só está nas redes sociais e navegando na internet, mas principalmente quando seu target realiza compra de produtos online como os que seu negócio oferece.

Portanto fazer pesquisas de marketing digital antes da digitalização costuma ser algo estratégico. A pesquisa de mercado é uma delas, mas existem outras que também são importantes,

Encare o digital como complemento da loja física 

Antes de levar sua empresa para o digital, é preciso ter certeza que o seu pessoal está entendendo que o site de vendas online e as redes sociais não chegaram para tirar empregos ou simplesmente trazer mais demandas. E sim para ajudar a vender mais.

Por esse motivo a mudança de mindset é tão importante. É indispensável antes de entrar com tudo no meio digital, que os colaboradores e equipes estejam compreendendo que hoje em dia a jornada do cliente é omnichannel

Ou seja, a pessoa pesquisa no Google sobre o produto ou serviço que deseja adquirir. Lê diversos conteúdos em blogs para descobrir qual modelo é o melhor para o seu caso específico e até pede recomendações nas redes sociais.

E quando tem certeza do que quer comprar, ai sim ou vai até a loja física ou a loja virtual.  Mas, antes de realizar a transação, é cada vez mais comum que as pessoas vão até a loja tradicional para conhecer o que pretende adqurir de perto ou experimentar.

Sendo que essa compra pode ser concretizada por lá mesmo (normalmente quando o consumidor quer o produto ou serviço na hora) ou pela internet (quando a pessoa não se importa de esperar a entrega). 

Portanto, nos dias de hoje, o processo de compra pode começar no online e terminar na loja física ou começar no offline e ser concretizada no online.

Aprenda a aumentar suas vendas online com a consultoria Vendas B2B Marketagem

Defina os canais de Marketing Digital que vale a pena investir 

Mesmo não estando efetivamente no online, saber quais canais de Marketing Digital vale a pena investir no caso específico do seu negócio faz toda a diferença. Isso porque antes de criar o site ou entrar nas redes sociais para negócio, é indispensável ter um bom planejamento.

E ele começa pela determinação de objetivos claros, que serão quebrados em metas, e precisam ser mensurados de acordo com os KPIs que fazem sentido. Por isso você precisa ter respostas para perguntas como: 

  • Qual a finalidade de criar o perfil da marca no Instagram ou Facebook
  • Para que criar um site? 
  • Por que vou investir em anúncios online?

Quando seu negócio encontrar essas respostas é outro indício que a hora de entrar no mundo digital está bem próxima.

Principais canais de Marketing Digital

  • Redes Sociais: Instagram, LinkedIn, Facebook,Youtube.,TikTok, etc.
  • Blog: repositório de conteúdo da sua empresa que costuma ser construído em plataformas como WordPress (a melhor  quase 40% da web usa), Blogger, entre outras.
  • Site: existem diferentes tipos de website, porém o site institucional e o site de vendas são os mais comuns. 
  • Mídia online paga : Google Ads, Bing Ads, Facebook Ads, Instagram Ads, etc.
  • Canal orgânico: são os resultados (que não são pagos) da pesquisa do Google e outros buscadores como Bing, Yahoo, Duck Duck Go!, etc.

Conclusão

A digitalização de empresas é um passo importante para sobrevivência no mercado. Mas, é preciso um certo grau de maturidade tecnológica da organização previamente para que ocorra bem e gere os melhores resultados para o negócio.

Isso porque o processo de digitalização de empresas faz parte de um outro muito maior que  é a transformação digital.

Por esse motivo o desenvolvimento de uma cultura digital é fundamental, além do costume de usar ferramentas e tecnologia na nuvem, entre outros sistemas,  nas operações. 

Além disso, é necessário entender quais canais de Marketing Digital fazem sentido para o seu negócio. E para isso, estudar como  o seu público-alvo se comporta no mundo virtual faz toda a diferença, entre outros pontos que merecem atenção antes da criação do Instagram da marca ou do site da loja.

Planeja levar seu negócio para o online? Conte para a gente, nos comentários, as principais dúvidas sobre Marketing Digital e Vendas que a gente responde você.

Aprenda estratégias de Marketing Digital com a consultoria Marketing Digital Marketagem

Como montar uma proposta comercial

Quantas vezes você já deixou de fechar vendas de produtos ou serviços, que tinham tudo para dar certo, só porque a proposta comercial não estava bem feita?  Montar uma boa proposta comercial é parte fundamental para que você consiga fechar um negócio. Mesmo que a prospecção seja bem feita com o entendimento das dores, roteiro GPCT […]

Como uma consultoria de Marketing Digital ajuda na sobrevivência e digitalização de negócios locais

A pandemia do Coronavírus mudou rapidamente a rotina dos brasileiros. Em tempos de quarentena e crise, a maioria das empresas precisou adaptar suas atividades para fazer vendas pelo celular e internet. E ainda levar suas operações para home office.

Já os consumidores também precisaram se familiarizar mais com compras online e, mais do que nunca, com os serviços delivery. E alguns dos novos comportamentos tendem a durar após o tempo de isolamento social.

Tem um negócio local ou empresa pequena que precisa de digitalização para realizar vendas online o quanto antes? Então acompanhe esse post Marketagem porque ele vai ajudar você a entender se vale a pena investir no digital e o porquê do investimento. 

Novos comportamentos dos consumidores requerem adaptação dos pequenos negócios por questões de sobrevivência

Uma recente pesquisa sobre os impactos da Covid-19 nos hábitos de compra e consumo dos brasileiros, realizada pela Opinion Box com 2101 pessoas em todo o Brasil entre 8 e 9 de abril, revelou as principais perspectivas para quando a quarentena acabar (e a crise gerada pela pandemia). Confira:

  • 53% dos entrevistados pretendem continuar comprando de pequenos produtores/locais. 
  • 49% devem manter as compras do supermercado online   
  • 44% possivelmente irão seguir em home office

Além disso, o estudo comprova que durante esse período de isolamento, as pessoas estão passando muito mais tempos na internet. Desde o início da pandemia, 63% dos entrevistados estão mais online. 

E houve um crescimento de compra de comida delivery (de 26% em 27 de março para 40% entre os dias 8 e 9 de abril).   

Presença online se tornou uma necessidade com a quarentena

Na prática, o que todos dados acima revelam é que sua empresa não precisa mais ficar restrita à loja física e ao atendimento presencial. Isso porque a forma de relacionamento e consumo das pessoas mudou inesperadamente.

E essa rápida adaptação também precisa ser aplicada aos pequenos negócios e empresas locais para tentar sobreviver à crise. Por esse motivo ampliar o alcance das vendas explorando o digital é um passo importante para resistir aos impactos financeiros do Coronavírus.

Para isso, você pode começar criando perfis da marca no Google Meu Negócio e nas redes sociais por serem prático e gratuito. 

Mas, é importante ter um plano de Marketing Digital para não começar a postar e depois parar. Em um segundo momento você pode evoluir para um blog, campanhas de e-mail marketing e até mesmo um site da empresa. 

Dessa forma é possível digitalizar sua empresa permitindo que as pessoas façam transações e pedidos pela internet, além de tornar mais fácil manter um relacionamento próximo com seus clientes atuais e futuros. 

Use sua rede de contatos para vender mais

Se sua empresa já tem presença online, é preciso mensurar para saber se ela está realmente gerando resultados para o negócio. Ou se as pessoas apenas interagem com seu perfil no Instagram ou Facebook, mas não compram nada com você. 

Dessa forma sua empresa entende como os usuários se comportam em relação a sua marca e ainda cria novas estratégias de vendas usando inclusive as rede sociais da marca para potencializar resultados.  

Então a dica é reverter o quadro aproveitando esses contatos para estreitar relacionamento e tentar converter, ao máximo, seguidores em clientes. 

O que uma consultoria de Marketing Digital pode fazer por negócios locais  

  • Digitalizar a empresa: reunir especialistas experientes para colocar a mão na massa para sua empresa ter presença online e poder continuar atendendo seus clientes também pelas redes sociais. 
  • Fazer o planejamento de redes sociais junto com você: a consultoria cria planos e ações para produzir conteúdo para Instagram e/ou Facebook, além de definir o que precisa ser mensurado.
  • Ensinar Marketing Digital para você e sua equipe: com base nas demandas da sua empresa, o time da consultoria ensina tudo o que você precisa saber para manter sua empresa no digital. Ou seja, o aprendizado é totalmente focado na prática e personalizado de acordo com suas necessidades reais. 
  • Dar insights: como o compartilhamento de conhecimento é totalmente baseado na realidade da sua empresa, durante o processo de aprendizado e acompanhamento, os experts podem dar insights para melhorar os resultados no digital.
  • Acompanhar tudo de perto: além de ensinar você a planejar e executar, uma boa consultoria de Marketing Digital também acompanha os seus progressos. Aqui no Marketagem, por exemplo, isso é feito via skype por 90 dias.  

Como descobrir se vale a pena levar sua empresa para o mundo digital

Avalie se seus produtos ou serviços também podem ser vendidos online 

Existem casos em que não é viável a digitalização da empresa porque não há como comercializar o produto ou serviço por meio do Marketplace do Facebook ou Mercado Livre por exemplo. E nem mesmo por loja virtuais ou sites institucionais

Seja porque não é permitido por lei seja porque o serviço ou produto em si impede. Mas é importante você considerar todos os fatores, além dos próprios custos operacionais. 

Além disso, não deixe de conferir como está seu fluxo de caixa hoje e quanto tempo dá para se manter com ele sem vender nada.   

Analise se sua empresa tem estrutura para vender pelas redes sociais

Outro fator importante é saber se o negócio tem mesmo condições de vender pela internet e realizar entregas dentro do prazo. Além disso, é importante contar com um atendimento de qualidade nas redes sociais. Então é preciso se perguntar:  

  • A equipe está capacitada para gerenciar pedidos e atender bem pelas redes sociais?
  • Sua empresa tem recursos tecnológicos para transformar internautas em clientes?
  • Consegue adaptar a atual logística e a gestão de estoque para a nova realidade digital? 

Descubra se seus clientes também comprariam seu produto pela internet

Outra forma de saber se a digitalização da sua pequena empresa vale o investimento é entender o comportamento dos seus clientes atuais. Se a maioria tem o hábito de consumir outros produtos ou serviços online, a chance de começarem a comprar pela internet com você também é grande.

Já se a maior parte nunca comprou nada pela web porque não sabe fazer isso ou simplesmente desconfia das transações online, então oferecer canais digitais não vale a pena no seu caso.

Porém, essa importante informação para sua tomada de decisão precisa ser baseada em dados reais. Ou seja, obtidos com entrevistas e pesquisas com seus atuais clientes e possíveis consumidores.

Para isso, a dica é perguntar a quem compra na sua loja física (nem que seja em uma conversa informal) se compraria também o seu produto pela internet. Caso a resposta seja positiva, descubra como faria isso: 

  • Pelo Facebook ou Instagram?   
  • Pelo Mercado Livre?
  • Por meio de um site da marca ou loja virtual? 
  • Quais seriam as melhores formas de pagamento para eles?

Portanto aproveite esse momento de redução das atividades para manter contato com seus clientes e prospects. E entre uma conversa e outra vá obtendo suas respostas. Ou então crie um pequeno questionário e envie para seu público-alvo pelo WhatsApp, redes sociais ou e-mail. 

Conclusão

Para muitas empresas pequenas, e até mesmo negócios locais, migrar para a internet tem sido uma maneira de continuar se conectando com os consumidores e possíveis clientes em meio à crise do Coronavírus. E assim sobreviver a proibição de abrir as portas realizando vendas pelas redes sociais ainda que temporariamente.

Mas, algumas mudanças de comportamento dos brasileiros por causa do isolamento social tendem a continuar mesmo após a quarentena como, por exemplo, priorizar a compra de pequenas empresas locais

Dessa forma vale a pena investir na digitalização do negócio porque sua marca passa a disponibilizar mais canais para as pessoas realizarem compras e serem atendidas de forma mais cômoda, prática e segura.     

Quer garantir que a migração para o online seja realizada da melhor maneira possível? A dica então é contar com o apoio de um  serviço de consultoria de Marketing Digital realizada por experts que planejam ações online junto com você. Tudo sob medida para seu negócio!

Como unir Outbound e Inbound Marketing em uma mesma estratégia de Marketing Digital

Quem foi que disse que Marketing de Atração é melhor do que Mídia Paga? Ou vice-versa? Às vezes pelo mercado é comum se deparar com declarações polêmicas do tipo, mas elas não tem o menor fundamento. 

Até porque justamente por as duas metodologias serem opostas que podem funcionar muito bem juntas em estratégias que as tornem complementares.

Quer entender como é possível conciliar Inbound e Outbound Marketing em uma mesma estratégia? Fica ligado neste post Marketagem então porque você vai ficar sabendo algumas dicas. Confira:  

O que é Inbound Marketing

Quem tem negócio digital certamente já ouviu falar sobre uma metodologia inovadora, cada vez mais usada por empresas no Brasil e no mundo, que resulta em clientes vindo até você para comprar.  

E por esse motivo ganhou o nome de Inbound Marketing ou Marketing de Atração. Mas, não pense você que as pessoas começam a comprar online na sua empresa, da noite para o dia, só porque sua empresa está nas  redes sociais ou tem um blog.

O Inbound Marketing traz resultados ao longo prazo pois todas as estratégias e ações são planejadas com base nas etapas do funil  e na jornada do cliente. 

Vendas Inbound têm abordagem consultiva 

Bem diferente do modelo tradicional, as Vendas Inbound contam com uma abordagem mais receptiva. E para conquistar clientes por meio dessa metodologia é necessário conhecer as principais dores, desafios, desejos, sonhos e até mesmo seu lifestyle.  

Além disso, é preciso aguardar a hora certa para abordagem de vendas. Ou seja, a pessoa chegar ao fundo funil de Marketing. E passar por todo o processo abaixo: 

  • Visitante virar Lead: é quando os internautas realizam a primeira conversão que pode ser cadastrar uma newsletter, baixar um e-books, fazer inscrição em um webinar, etc.
  • Lead virar Lead Qualificado: não é todo mundo que está na sua base de contato que irá se tornar cliente. Eles terão que ser qualificados antes pelo Marketing. E esse processo inclui, por exemplo, pontuações de acordo com materiais e posts que a pessoa interagiu ao longo do topo e meio do funil. 
  • Lead Qualificado virar Oportunidade: depois que o setor de Marketing validou o lead como qualificado, ele é encaminhado para o setor de Vendas Inbound como Oportunidade. A partir daí, ele entrará em contato com uma abordagem de venda consultiva. Ou seja, o caráter educativo que é a essência do Inbound não é transformada em técnicas agressivas de venda.
  • Oportunidade virar Cliente: após as abordagens do vendedor-consultor, é quando a pessoa fecha negócio passamdo de oportunidade para cliente. Caso contrário, ela volta para o funil de Marketing. 

O que é Outbound Marketing

Mais conhecido como Marketing Tradicional, o Outbound Marketing é a metodologia convencional que tem como base os 4 Ps do Marketing (produto, praça,  preço e promoção).

Com o advento das novas tecnologias, o marketing tradicional passou a ser não apenas offline, mas também online. Por esse motivo anúncios online em buscadores (Google Ads) e publicidade online nas redes sociais (Facebook Ads, Instagram Ads, etc.) faz parte das estratégias do Outbound Marketing.

Em relação às vendas Outbound, ela é toda realizada no modelo tradicional embora utilizem hoje ferramentas online modernas que permitem prospectar clientes com acesso a mais dados do que na época 100% offline. 

Vendas Outbound têm abordagem ativa

Com abordagens mais agressivas, em relação às do Inbound, a equipe de vendas Outbound precisa correr atrás de clientes e se preocupar em bater metas. 

Mas, em compensação, não tem que esperar a pessoa se tornar um lead qualificado para entrar em contato para vender os produtos ou serviços da empresa. Para isso, os profissionais de venda podem usar:

  • Cold Calling: as famosas ligações de telemarketing ou de vendedores para pessoas que inclusive nunca interagiram com a marca. Elas têm como principal característica um discurso de vendas mais formal. Mas, nada impede que você inove se quiser colocar em prática.
  • Cold Calling 2.0:  é a evolução da técnica convencional para o digital. O processo Inclui CRM para levantar dados. E tem o e-mail marketing como ferramenta para envio de mensagens persuasivas. Pode até usar as redes sociais para prospectar clientes. A principal diferença em relação a cold calling é o foco em resultado e não quantidade de contatos por dia.
  • Publicidades online: vale lembrar que o discurso de vendas precisa estar em conformidade com o que é divulgado nos anúncios online e/ou offline. Além disso, em campanhas de e-mail marketing Outbound é bem comum enviar promoções e descontos especiais para o prospect. 

Ou seja, as vendas Outbound é a maneira clássica de vender só que também adaptada ao Marketing Digital. 

Principais diferenças entre Inbound Marketing e Outbound Marketing

Investimento 

Do ponto de vista do budget, o Marketing de Atração costuma agradar mais. Isso porque os custos do investimento em Inbound Marketing, como um todo, costumam ser menores do que em Outbound Marketing.

Prazo de retorno sobre investimento

Já em relação ao tempo de obtenção de resultados, o Outbound Marketing teoricamente é considerado melhor, por muitos, porque o ROI aumenta ao curto prazo (até 3 meses normalmente costuma apresentar os primeiros retornos).

Enquanto o Inbound Marketing é algo ao médio ao longo prazo (a partir de 6 meses ou 1 ano dependendo das ações). Embora seja possível obter alguns resultados pontuais antes disso como, por exemplo, as primeiras conversões em até 3 meses.

Forma de abordagem

A diferença mais famosa entre Inbound Marketing e Outbound Marketing é justamente a forma de vender de cada uma. 

Enquanto o Marketing de Atração tem um conjunto de estratégias mais orientadoras e educativas totalmente baseada no funil de vendas e que respeita a jornada do cliente, o Outbound Marketing é muito mais ativo, imediatista e direto ao ponto. O que traz resultados mais rápido, mas faz ser considerado também uma técnica invasiva.

Quer entender melhor sobre as principais diferenças entre Inbound Marketing e Outbound Marketing? Assista o vídeo abaixo porque eu explico como é cada uma dessas metodologias na prática.

Como unir Outbound e Inbound Marketing para obter melhores em Marketing Digital

Cold Call para leads qualificados

Uma dica que costuma funcionar bem é usar técnicas de Outbound Marketing em sua base de leads formada por meio do Inbound Marketing. 

Isso porque, em muitos casos, essa técnica de abordagem direta não funciona porque a pessoa nem sequer interagiu com sua marca e você já está tentando vender algo para alguém que pode nem ser um lead qualificado. 

O que faz sua empresa investir tempo e dinheiro em algo que não vai gerar vendas e ainda pode abalar a reputação da sua marca com esse possível consumidor. Caso ele sinta que sua abordagem seja algo invasivo, é claro.   

Então a dica é quando as pessoas interagirem bastante com sua marca por meio de conteúdos estratégicos do seu site (chegaram no fundo do funil, mas ainda não compraram ou estão no meio e você quer acelerar a descida), uma abordagem mais ativa pode funcionar bem. 

Exemplo de cold call 2.0 para leads Inbound

Dependendo do perfil da sua persona, você pode realizar uma cold call  2.0 para trocar uma ideia sobre como aplicar o conteúdo consumido pela pessoa e assim oferecer seus produtos ou serviços de maneira mais natural (ou seja, uma abordagem ativa, porém sem técnicas de vendas agressivas). 

Algo do tipo: Bom dia! Sou fulano de tal, especialista em tal coisa na empresa X. Estou entrando em contato com você porque vi que baixou nosso template Y que é para facilitar a tomada de decisão em relação a tal coisa. Queria saber se você gostaria de trocar uma ideia comigo sobre isso… (e se a pessoa quiser, você pode de maneira natural agendar uma apresentação da sua empresa). E por aí vai… 

Campanhas de e-mail marketing mais persuasiva

Você sabia que em uma mesma campanha de e-mail marketing é possível mesclar metodologias Inbound e Outbound para alavancar vendas?

Quando o visitante do seu blog ou site se torna lead, ele autoriza você a entrar em contato pelo correio eletrônico. Certo? 

E assim você começa a aprofundar o relacionamento com ele enviando conteúdos relevantes. Mas, vale lembrar que esse lead ainda está no meio do funil, e a metodologia Inbound requer tempo e paciência porque é ao longo prazo mesmo.

Se você quer acelerar conversões e vendas, uma dica que costuma funcionar bem é criar mensagens mais persuasivas e mesclá-las com mensagens educativas ao longo da campanha de e-mail marketing. 

Para isso, a dica é iniciar os contatos via e-mail com técnicas de Inbound Marketing para quebrar o gelo e só depois começar a estimular a ação por meio de Outbound Marketing com certa naturalidade. Exemplo: a cada 8 e-mails de Inbound Marketing, envie 1 de Outbound. Dessa forma não fica algo invasivo ou agressivo para sua persona.   

Mas, é preciso ficar claro que não estou falando aqui de anúncios online ou copywriting de venda direta. E sim de um e-mail com conteúdo que use a isca de Inbound como pretexto para apresentar seu produto ou serviço com naturalidade e mostrar como isso pode ser útil para seu lead. 

Exemplo de abordagem Outbound em campanhas de Inbound Marketing 

Se ao longo da jornada do cliente, a pessoa baixou alguns materiais gratuitos que a tornou lead qualificado, a dica é relembrar isso no e-mail de Outbound. 

Algo do tipo: Estou entrando em contato porque que você baixou os e-books X e Z. Tenho umas dicas para ajudar você colocar esses conteúdos em prática. Aqui em nossa empresa temos inclusive a solução Y que você pode testar gratuitamente por 30 dias e trará resultados como A, B e C. Gostaria de experimentar sem compromisso? 

Dessa forma você prospectou ativamente a pessoa via e-mail marketing sem ser invasivo. E inclusive aproveitando a oportunidade que o Inbound Marketing criou para mostrar como seu produto ou serviço pode ser útil para o lead.  

Conclusão

Inbound e Outbound Marketing são metodologias de Marketing Digital que têm como objetivo final alavancar vendas. Com estratégias completamente diferentes e essências opostas, as duas funcionam bem quando aplicadas isoladamente. E ainda melhor quando usadas de maneira complementar em uma mesma estratégia. 

Quer aprender mais sobre Inbound e Outbound para crescer na carreira? Garanta já sua vaga no curso Marketing Digital Na Prática que tem vagas limitadas e só abre uma vez por ano aqui no Marketagem! 

Recolocação de mercado: como fazer sua transição de carreira para o Marketing Digital

Área relativamente nova que oferece uma grande variedade de carreiras, o Marketing Digital atrai profissionais dos mais variados setores que estão em busca de recolocação no mercado. 

Principalmente os formados em Comunicação Social (Jornalismo, Publicidade e Relações Públicas). Mas, há espaço também para pessoas com diferentes tipos de graduação ou certificações técnicas.

Está pensando em fazer sua transição de carreira para o Marketing Digital? Então dá uma conferida no nosso post porque você vai descobrir quais as principais profissões do setor. E também como suas experiências anteriores podem facilitar sua transição de carreira. 

Principais áreas do Marketing Digital

O primeiro passo para ter sucesso na área, é saber exatamente no que quer trabalhar. Isso porque o Marketing Digital é um campo amplo que reúne profissões novas que exigem skills e domínios de ferramentas totalmente diferentes. Confira as principais carreiras:  

Quer trabalhar no meio online, mas ainda não entende o que faz a maioria desses profissionais? E nem conhece as habilidades que precisa desenvolver? Uma dica legal é, além de pesquisar bastante sobre a área, se inscrever em um curso introdutório para aprender o básico de Marketing Digital

Isso vai facilitar sua transição de carreira porque você vai entrar em contato com professores que também são profissionais experientes. E que podem inclusive ajudar você a descobrir qual área deve aprofundar seus aprendizados futuros com indicações de cursos específicos nela.

Sem contar que irá conhecer pessoas e fazer networking, caso seja um curso presencial de introdução ao Marketing Digital.

Como suas experiências profissionais podem agregar ao Marketing Digital

Quem pretende se preparar para começar a trabalhar com Marketing Digital precisa aprender conceitos, estratégias, ferramentas e técnicas para conquistar a recolocação na área. Mas, em muitos casos, suas experiências profissionais podem ser necessárias na nova carreira. Inclusive se tornando até diferenciais. 

Jornalistas

As habilidades de pesquisa, escrita e storytelling são muito necessárias no Marketing Digital principalmente nas seguintes carreiras:

  • Inbound Marketing/ Marketing de Conteúdo: precisa aprender a realizar pesquisa de palavra-chave e a compreender a intenção do usuário. Para dessa forma criar pautas para posts que sejam relevantes para as audiências e também que reforcem a autoridade do marca. Só para citar um exemplo das atribuições dessa função que engloba gestão de conteúdo.
  • Redator: se você quer trabalhar com produção de conteúdo, por exemplo, como é fundamental que você tenha noções de SEO para aplicar em textos. Dessa forma é possível criar conteúdo otimizado. O que é indispensável para o blog ou site se posicionar melhor no Google. Ou seja, ser encontrado com mais facilidade pelos internautas.
  • Jornalista de dados: outra nova profissão para jornalistas em alta.  Também conhecido como profissional de Data Driven Journalism, é ele que interpreta indicadores e estatísticas, compara informações, pesquisa dados brutos de planilhas de Excel,etc. Então se você quer atuar nessa área do Marketing Digital terá que aprender a realizar análise de dados, caso ainda não saiba. 

Assessor de imprensa 

Gestão de Redes Sociais, Analista de Link Building ou Assessor de Imprensa Digital são algumas das profissões que graduados em Comunicação Social costumam se sair bem no Marketing Digital. 

 

  • Profissional de Link Building: o conhecimento de SEO, produção de conteúdo e assessoria de comunicação são a base. Isso porque você irá desenvolver relacionamentos para conseguir publicações com backlinks. Portanto toda sua experiência como assessor de comunicação offline é indispensável. Da produção de releases à rede de contatos que você possui. 
  • Redes Sociais: atua na distribuição de conteúdo nas social media. Do planejamento à execução passando pela mensuração do processo. Ou seja, não é muito diferente da sua experiência com veículos offline. 

No caso de você atuar como Link Builder, terá que analisar prévia de métricas de SEO Offpage como Domain Authority (DA – autoridade de domínio) e Page Authority (PA – autoridade de página) que são analisadas na ferramenta Moz ou similares. 

Isso porque você também terá que levar em conta esses indicadores na hora de escolher os veículos que realmente interessam o envio de releases e publicações de guestposts.    

Já se resolver trabalhar como gestor de redes sociais, será necessário aprender  estratégias de Instagram, LinkedIN e/ou Facebook. E também as especificidades de cada uma das social medias para conseguir se comunicar com o público-alvo de maneira mais assertiva.

Quer algumas dicas para atuar na área de Social Media? Baixe gratuitamente o Webinar Como Rodar sua estratégia de Redes Sociais que reúne experts da área. 

Publicitário 

Para você que é formado em Publicidade e quer trabalhar na área de Marketing Digital, é preciso aprender algumas coisas. Mas, sua experiência offline pode ajudar bastante principalmente na área de mídia de performance

Isso porque você pode trabalhar com Google Ads, Facebook Ads, Instagram Ads, entre outros. Ou seja, criando anúncios online e gerenciando campanhas.  

Também pode trabalhar com Inbound Marketing na área de e-mail marketing.  Ou como copywriting, que é o bom e velho redator publicitário, mas que atua com conteúdo otimizado focado em vendas.  

Entre as várias opções, o trabalho como atendimento publicitário em agência digital também é destaque. 

Profissional de TI 

Quem é da área de Informática também encontra algumas opções de recolocação profissional na área de Marketing Digital. É possível atuar como desenvolvedor em agências online, e-commerces ou empresas com presença online em geral. 

Outra opção é ser especialista em SEO Onpage. Dessa forma você pode atuar em agências de Marketing Digital, lojas virtuais ou em startups diversas realizando otimizações de sites.

Para isso, será necessário aprender Search Engine Optimization. Inclusive para entender como funciona o Google e os principais buscadores. Além de se manter atualizado em relação à algoritmos e updates. 

Profissionais de vídeo

Considerado um mix de buscador e rede social, o Youtube é a segunda maior ferramenta de busca online do mundo e reúne um grande número de youtubers profissionais e influenciadores digitais que vem aumentando cada vez mais nos últimos anos.  

O que fez crescer a demanda por profissionais de vídeo para atuar na produção e edição de conteúdo para Youtube e outras social medias.

Portanto não falta espaço no Marketing Digital para quem é expert em audiovisual. Sem contar que as experiências prévias offline podem agregar bastante na carreira online. Talvez seja necessário apenas aprender alguns programas específicos, mas vai depender da vaga desejada.

Além disso, também é possível conseguir recolocação na área de e-learning. Isso porque a quantidade de cursos digitais também cresceu bastante nos últimos anos. O que gerou novos empregos para profissionais de vídeo.  

Conclusão

Gestor de Redes Sociais e consultor de SEO são apenas algumas das diferentes profissões do Marketing Digital. Esse vasto campo vem criando inclusive várias oportunidades de recolocação no mercado

Para atuar no meio online, muitas vezes é preciso aprender coisas novas e até se especializar na área que você deseja por meio de cursos e/ou mentorias

Mas, vale lembrar que em muitas situações, as experiências anteriores de quem está em transição de carreira têm muito a contribuir com a nova área. E fazem toda a diferença na hora de conquistar seu novo emprego.  

Quer começar a aprender Marketing Digital? Baixe nossos materiais gratuitos para entender melhor sobre o mercado e conhecer dicas de especialistas na área. 

Scroll to top
Abrir a conversa
1
Fale com um especialista pelo Whatsapp
Olá! 👋
Caso tenha alguma dúvida, fale com um especialista por aqui!