O que o seu comportamento de navegação pode ensinar sobre marketing digital

comportamento de navegação

Uma das principais etapas para uma boa atuação na internet é o planejamento de Marketing Digital, que na maioria das vezes é bem trabalhoso e complicado.

Porém, existe uma forma bem simples de descomplicar esse processo. Basta analisar o seu próprio comportamento de navegação na internet e conectá-lo com a necessidade em questão.

Você provavelmente utiliza a internet para:

  • Acessar whatsapp e Messenger;
  • Utilizar redes sociais;
  • Checar e-mails;
  • Acessar portais de notícias variadas;
  • Comprar;
  • Consumir conteúdos especializados em blogs.

Se você quer entender um pouco dessa lógica, fique conosco até o fim do post! Com certeza, terá diversos insights que poderão lhe ajudar a planejar e executar melhor ações de marketing digital.

Para que tudo inicie da melhor forma possível, é imprescindível conhecer o produto ou serviço e o público.

Leia também:

A partir daí, basta compreender os hábitos de navegação e conectá-los com o público e o serviço/produto.

Logo abaixo, explicaremos um pouco de cada um dos seis comportamentos listados no início do post, ok?

Acessar Whatsapp e Messenger

whatsapp

O Whatsapp e o Messenger são senhoras ferramentas de comunicação entre amigos, equipes de trabalho,  equipes de projeto, SAC, e o que mais for necessário caso a pessoa não esteja ao seu lado.

Algumas empresas estão utilizando principalmente o Whatsapp para gerar vendas ou facilitar alguns processos burocráticos. Esse comportamento, em alguns casos, faz com que o cliente fique tão feliz que compartilhe a empresa em redes sociais entre seus conhecidos.

Já o Messenger (que é do Facebook), vem passando por muitas mudanças e em breve será um senhor motor de personalização dentro do Facebook. Ele poderá ser destino de anúncios, trabalhar com automação de contatos, entre outras coisas.

O exercício para identificar se o WhatsApp e o Messenger fazem sentido em uma estratégia de Marketing é simples. Basta se perguntar como essas duas ferramentas podem ser utilizadas para conversar, atender, vender para o público do serviço em questão.

Utilizar Redes Sociais

Existe um mundo de redes sociais (Facebook, Twitter, Snapchat, Instagram, etc.) e muitos possuem conta em CADA UMA delas, seja para compartilhar momentos do dia, seguir empresas e amigos, consumir notícias, falar besteira, trocar ideia e muito mais.

É muito comum vermos empresas acessando as redes sociais em busca de métricas de vaidade e não de conexões verdadeiras com possíveis compradores.

O exercício para saber se estar nas redes sociais (através de anúncios ou de forma orgânica) faz sentido é se perguntar se o possível consumidor está ali.

Se a resposta for sim, de alguma forma a marca deve participar da conversa que acontece na rede social, pois ela pode fazer parte da jornada de compra do potencial cliente.

Checar e-mails

pessoa checando e-mails

O tempo passa, o tempo voa e o e-mail continua numa boa, em plena evolução!

Com certeza, um dos melhores canais (se bem utilizado), o e-mail é uma ferramenta “bombril”, pois serve para relacionamento, venda e qualquer outra necessidade de contato com alguém.

Por mais que as redes sociais e a proliferação do uso do e-mail marketing tenham feito com que as pessoas olhem menos suas caixas de e-mail, elas continuam sendo visitadas pelo menos uma vez por dia.

Se a resposta para a pergunta “Tenho algum conteúdo que pode ser compartilhado por e-mail?” for sim, insira o e-mail marketing na pauta de próximas ações.

Acessar Portais de Notícias Variadas

Além de utilizar WhatsApp, redes sociais, checar e-mails, sempre checamos portais de notícias como Globo, Terra ou ainda portais mais direcionados ao esporte ou outro segmento.

Estar ali, de alguma forma, pode ser o início de um relacionamento com um possível consumidor.

Consumir conteúdos especializados em Blogs

Sempre que precisamos procurar algum conteúdo muito específico, recorremos ao oráculo (Google).

Portanto, se o produto ou serviço possui peculiaridades que são dúvidas, isso com certeza é uma grande oportunidade para criação de um blog.

Comprar

hábito de comprar online

Da mesma forma que um usuário recorre ao Google para buscar conteúdos bem específicos, ele repete o comportamento caso queira comprar algo — a não ser que ele conheça a loja/empresa e digite direto a URL.

Uma pesquisa que pode ser feita para identificar se existe esse comportamento é simplesmente realizar uma busca “comprar serviço x no local y” ou simplesmente “comprar serviço x”.

Através dos resultados, você terá uma boa ideia de demanda.

Para uma pesquisa ainda mais aprofundada, você pode utilizar o Keyword Planner, do Google AdWords. Esta é uma ferramenta excelente para ver a incidência de palavras-chaves e long tails (frases chave).

Ao verificar o volume de buscas de uma palavra ou sentença (caso tenha uma campanha de Google Adwords rodando), você pode entender o quanto um serviço, produto ou assunto é relevante.

Como realizar a conexão?

jornada de compras

Existe um conceito chamado jornada de compra que é muito utilizado em estratégias de marketing de conteúdo e será o grande conector de tudo que falamos até o momento aqui no post.

Segundo o Hubspot, jornada de compra (ou buyer journey, em inglês) é:

“O modelo utilizado para definir em que estágio do processo de compra do cliente se encontra. Com base no que o consumidor está buscando é possível identificar esse estágio. Então, o marketing e a área comercial pode entregar as informações certas que vão ao encontro das necessidades do comprador”.

A jornada de compra é praticamente o Tinder (aplicativo de paquera) do Marketing Digital. atua em 3 estágios: Consciência (awareness), Consideração (consideration) e Decisão (decision).

Conclusão

Realizar este exercício pode ser ótimo para oxigenar as ideias, mas de nada adianta ter 1000 ideias e querer executar as 1000 de uma hora para a outra.

Para isso, montamos um post bem explicadinho sobre a metodologia bullseye. Ela é ótima e ajuda a focar no que realmente faz a diferença.

Que tal, você entendeu como seu comportamento de internauta pode ensinar sobre marketing digital? Deixe seu comentário!

Sobre o Autor

Formado em Publicidade e com MBA em Gestão de Projeto. Possui sólida experiência em Marketing Digital e é especialista em SEO. Além disso é co-fundador da Search Lab e fundador do Marketagem.

Deixe um comentário 0 comentários