O que é um funil de marketing?

funil de marketing

Você já ouviu falar em funil de marketing? Saiba que ele é uma tradicional representação imaginária do caminho que o cliente percorre para chegar até a decisão de compra.

O funil de marketing é uma evolução do funil tradicional, pois, quando falamos de vendas inbound, as ações de marketing vão além da propaganda e da atração do público-alvo, atuando em todas as etapas, ajudando a equipe comercial a qualificar e conduzir os leads até a compra.

As três fases do funil de marketing

Imagine um funil. Sim, um funil destes que a gente utiliza na cozinha. Ele tem uma embocadura no topo, por onde entra o líquido, há uma extensão mais estreita por onde o material segue e uma saída.

Agora transporte esta imagem para uma estratégia de mercado. Pronto: temos o funil de marketing! Calma, vai ficar mais claro quando esmiuçarmos ainda mais esta analogia. Acompanhe!

Por ser um modelo que representa o processo de condução do público-alvo por um percurso estratégico na experiência com a marca, o funil auxilia os profissionais a criarem táticas e planos de ação para gerar a melhor experiência em cada uma das fases percorridas pelo público-alvo. As fases são três: topo (entrada), meio (qualificação/relacionamento) e fundo (saída/venda). Vamos conhecer cada uma destas fases?

Topo do funil de marketing

O topo de um funil é a sua parte mais ampla, a entrada, certo? Pois é, no funil de marketing, o topo é a entrada do público. Nesta fase, a preocupação é atrair o maior número possível de pessoas e fazer com que elas conheçam a marca e se interessem por ela.

É importante saber que as pessoas que chegam no topo do funil não estão necessariamente interessadas nos produtos e serviços que a empresa oferece. Elas podem ter se interessado por conhecer mais a marca, ver os conteúdos, navegar no site etc.

Com um trabalho bem feito de atração, de topo de funil, é possível avançar para a segunda fase: transformar visitantes/curiosos em leads, em potenciais clientes.

Meio do funil de marketing

Os visitantes do site, por exemplo, que avançam para o meio do funil já estão minimamente qualificados. Significa que já passaram da fase apenas do interesse e querem saber como os produtos e serviços da empresa podem ajudá-los a resolver seus problemas, saciar seus anseios e desejos. Eles já podem ser chamados de leads.

No meio do funil, os trabalhos devem ser voltados para qualificar estes leads. É a hora de separar o joio do trigo e entender quais as motivações, os interesses e as necessidades destes leads para conduzi-los para a próxima etapa: a decisão de compra.

Fundo do funil de marketing

O fundo do funil é a glória! Quanto mais leads chegam até a ele, maiores são as probabilidades de venda. Os leads que chegam até esta etapa já passaram pela fase de conhecer e tirar as dúvidas, já foram qualificados e já estão praticamente prontos para comprar.

Nesta fase, as atividades são mais voltadas para convencê-lo a comprar, a tomar a ação da compra sem dúvidas.

Exemplos de ações em cada fase do funil de marketing

Veja agora algumas ações que podem ser feitas em cada fase do funil de marketing para obter sucesso na estratégia:

Topo do funil

Produzir conteúdo com curiosidades e dicas;

Caprichar no SEO (palavras e termos chave);

Fazer campanhas de anúncios digitais;

Produzir landing pages;

Meio do funil

Oferecer conteúdo mais aprofundado (cases de sucesso etc.);

Coletar dados dos visitantes do site via formulários;

Enviar sugestões de conteúdos complementares;

Fundo do funil

Oferecer conteúdo mais voltado para a venda;

Falar sobre os produtos e serviços;

Enviar ofertas;

Por que é importante medir resultados em cada fase do funil de marketing

Além de entender o que é o funil e ter algumas dicas de ações que podem ser feitas, também é importante saber que em cada fase do funil devem ser medidos os resultados. Para isso, claro, é preciso criar métricas (indicadores de desempenho).

Por exemplo, uma métrica para um site pode ser: no topo do funil, medir a quantidade de visitantes atraídos; no meio, medir a quantidade de leads qualificados e no fundo, ver quantos leads se transformaram em clientes.

Há muitas outras métricas que podem ser analisadas em cada fase do funil (tempo de permanência dos leads em cada fase, custo de qualificação e conversão de leads etc.). Atenção para não cair nas métricas de vaidades. Já conversamos sobre elas, lembra?

Existe algum outro assunto relacionado que gostaria de ver aqui no blog do Marketagem? Entre na conversa com a gente. Adoraríamos ouvir a sua opinião!

Este post tem 4 comentários

  1. Muito bom o post. É bom encontrar textos que explicam bem algo tão importante para o marketing digital quanto o Inbound Marketing. Há um tempo, escrevi um post sobre fidelização de clientes com o auxílio do marketing de atração. Compartilho para contribuir com a discussão 😀
    http://k2comunicacao.com.br/blogs/marketing-de-atracao-para-fidelizar-clientes/
    Obrigado e parabéns pelo blog, não o conhecia. Passarei a acessar!

    1. Oi Willian! Muito obrigado pelo feedback! Adicionarei você na newsletter do blog, ok? Dessa forma, você receberá todas as atualizações diretamente no seu e-mail. A propósito, muito bacana o blog da K2 Comunicação. Um abraço, Victor

      1. Opa, faça isso, sim. Vou acompanhar sempre. Abraços!

        1. Fechado, Willian! Um abraço, Victor.

Deixe uma resposta

Receba nossas postagens por e-mail

Fechar Menu